Roberto Freire passa por saia justa ao entregar Prêmio Luís de Camões a Raduan Nassar

Ministro da Cultura foi vaiado ao defender o governo Michel Temer

Roberto Freire entregando o Prêmio Luís de Camões a Raduan Nassar Roberto Freire entregando o Prêmio Luís de Camões a Raduan Nassar  - Foto: Divulgação

O ministro da Cultura, Roberto Freire, passou por uma saia justa na manhã desta sexta-feira (17), em São Paulo, quando acorreu a entrega do Prêmio Camões de Literatura ao brasileiro Raduan Nassar, de 81 anos. Ao fazer uso da palavra, o escritor fez críticas ao governo de Michel Temer.

“Infelizmente nada é tão azul no nosso Brasil. Vivemos tempos sombrios", disse o escritor, que recebeu como prêmio o valor de 100 mil euros. Ele ainda agradeceu a presença de Freire, a quem se referiu como "ministro do governo em exercício", causando uma situação constrangedora. “O golpe estava consumado, não há como ficar calado”, sentenciou embalado por aplausos da plateia e gritos de “fora temer”.

Após o fim do discurso de Nassar, o ministro Roberto Freire se manifestou. "Estamos vivendo um momento democrático e que é muito diferente do período de ditadura". Foi vaiado pelo público, mas ainda assim, continuou e disse que a narrativa do golpe de "estultice". Disse ainda que "o prêmio é dado pelo governo democrático brasileiro e não foi rejeitado" pelo autor.

O Camões é concedido pelos governos de Brasil e Portugal, e foi oferecido a Raduan em maio, ainda durante o mandato de Dilma.

Veja também

Classes mais altas têm maior potencial de contaminação em repique de casos, diz infectologista
Coronavírus

Classes mais altas têm maior potencial de contaminação em repique de casos, diz infectologista

Protestos contra violência policial deixam 56 mortos e fecham escolas na Nigéria
internacional

Protestos contra violência policial deixam 56 mortos e fecham escolas na Nigéria