Inscrições para seleção de 194 profissionais de saúde vão até domingo

Como parte do Plano Municipal de Contingência Covid-19, a Prefeitura do Recife publica, nesta quinta-feira (19), decretos que autorizam a realização de duas seleções simplificadas para contratação temporária de 194 profissionais de saúde, sendo 15 médicos para a Atenção Básica e 179 profissionais para as UTIs e leitos de retaguarda para atenção aos pacientes com Covid-19. As inscrições são gratuitas e podem ser realizadas até o próximo domingo (22), de forma exclusivamente eletrônica. Os editais completos com todas informações serão disponibilizados no site da Prefeitura (www.recife.pe.gov.br) e em uma edição extraordinária do Diário Oficial do Município.

As seleções da Secretaria de Saúde (Sesau) do Recife e da Secretaria de Administração e Gestão de Pessoas (SADGP) serão realizadas em etapa única, através de avaliação curricular, com comprovação de títulos e experiência profissional. São 15 vagas para médicos da Atenção Básica e 179 profissionais para as UTIs e leitos de retaguarda para atenção aos pacientes com Covid-19, sendo 14 para médicos intensivistas, infectologistas e pneumologistas; 50 enfermeiros intensivistas; 100 técnicos de enfermagem e 15 fisioterapeutas respiratórios).

Para concorrer às vagas, os candidatos devem ter, no ato da inscrição, no máximo 59 anos e devem apresentar declaração de que não se encontram no grupo de risco da Covid-19. O processo seletivo reserva 10% das vagas para pessoas com deficiência, desde que sejam compatíveis com as funções pretendidas.

Os salários podem chegar a R$ 12.061,64, para médicos da Atenção Básica com carga horária de 40 horas, além das gratificações e adicional por desempenho. O contrato temporário será de um ano, podendo ser renovado por mais um, assim como também pode ser rescindido, a qualquer momento, de acordo com as necessidades da Prefeitura do Recife.

Os interessados em participar da seleção da Secretaria de Saúde do Recife devem preencher o formulário de inscrição e o caderno de apresentação de documentos disponíveis no edital e enviá-los por e-mail. O resultado final das seleções será divulgado no dia 26 de março, e a expectativa é que os profissionais comecem a trabalhar já em abril.

Os profissionais vão trabalhar nas unidades da Atenção Primária à Saúde e nos novos leitos de UTI e de retaguarda para atendimento de pacientes infectados com o novo coronavírus. A criação de 400 novos leitos de UTI e 600 vagas de leitos de retaguarda em todo o Estado foram anunciadas pelo prefeito Geraldo Julio e pelo governador Paulo Câmara, nessa quarta-feira (18). Dessas vagas, 150 são da rede municipal e filantrópica do Recife, sendo 50 de UTI e 100 de leitos de retaguarda.

SUSPENSÃO DAS CIRURGIAS ELETIVAS - Para liberar o maior número possível de leitos para o tratamento dos pacientes infectados com o novo coronavírus, a Secretaria de Saúde (Sesau) do Recife vai cancelar cirurgias eletivas (procedimentos agendados previamente, que não precisam ser realizados em caráter de urgência) e vai suspender algumas consultas ambulatoriais, a partir de sexta-feira (20), para que os leitos estejam vazios, caso necessário.

A medida afetará o Hospital da Mulher do Recife (HMR) Dra. Mercês Pontes Cunha, no Curado, e também as unidades filantrópicas da rede, como o Hospital Evangélico, Hospital Maria Lucinda, Instituto Materno Infantil de Pernambuco e Santa Casa de Misericórdia (Hospital Santo Amaro). A Sesau também suspendeu parcialmente os atendimentos ambulatoriais de algumas unidades da rede própria, entre elas a Unidade Pública de Atendimento Especializado (UPAE) Arruda e o HMR, e da rede complementar. Já as consultas nas Unidades de Saúde da Família (USF/Upinhas), Centros de Saúde e policlínicas continuarão sendo realizadas normalmente.


Veja também

Navegue na edição digital da Folha de Pernambuco
Folha de Pernambuco

Navegue na edição digital da Folha de Pernambuco

Ministério do Trabalho abre apuração após casos da Covid-19 em frigoríficos do Mato Grosso
Pandemia

Ministério do Trabalho abre apuração após casos da Covid-19 em frigoríficos do Mato Grosso