Adriana Rocha define eixos de sua plataforma ao Senado

Adriana Rocha (REDE), candidata ao Senado - Divulgação

A advogada Adriana Rocha, candidata pela Rede ao Senado, divulgou a plataforma que pretende exercer como representante de Pernambuco na Casa Alta. No documento, a conselheira Federal da OAB-PE e ex-vice-presidente da Ordem destacou 18 eixos, que versam sobre saúde, educação e diminuição dos privilégios dos agentes públicos.

Como presidente da Comissão Nacional de Promoção da Igualdade da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Adriana tem atuado em temas ligados à inclusão social que estão presentes em suas propostas, por meio do combate ao assédio sexual à mulheres advogadas e da maior participação de jovens advogados negros nos escritórios de advocacia no Brasil. Adriana também exerceu a função de vice-presidente da Comissão de Diversidade Sexual e Gênero do Conselho Federal da OAB, onde lutou pela aprovação de pautas de interesse das pessoas LGBTs.

"Quando nos deparamos com a situação atual do nosso país, nasce dentro da gente essa vontade de participar ativamente do processo político. Pensando isso, saí do lado de eleitora para o de candidata para poder fazer a diferença", afirmou.

Confira as 18 pautas legislativas de Adriana Rocha:

1) Igualdade de oportunidades para todas as pessoas no mercado trabalho (inclusão);
2) Ensino básico federalizado;
3) Professores em todos os níveis valorizados não só na remuneração, mas nas condições de trabalho;
4) Reestruturação do sistema de Justiça para dar mais eficácia às punições que envolvam crimes dolosos contra a vida;
5) Restrição à renovação de mandato de parlamentares;
6) Diminuição do mandato dos Senadores;
7) Mudança nas regras de acesso ao STF e mandato para os Ministros;
8) Reforma dos serviços públicos com extinção de cargos comissionados em excesso;
9) Especificação do conceito aberto de “notável saber jurídico” utilizado pela Constituição;
10)Garantia de assentos no legislativo em razão de gênero, para mais mulheres ingressarem na política. Apoio a toda e qualquer legislação que garanta às mulheres políticas públicas e privadas voltadas para a sua dignidade, a sua autonomia, e à proteção de sua vida.
11)Pauta específica para garantir às crianças acesso aos direitos fundamentais básicos.
12)Incentivo à desburocratização;
13)Tecnologia e Inovação, desenvolvimento sustentável, com pautas legislativas próprias;
14)Facilitação para a propositura de leis de iniciativa popular;
15)Obrigatoriedade de expediente semanal dos parlamentares para atendimento virtual dos cidadãos e cidadãs.
16)Exclusão de benefícios aos agentes públicos, como carros oficiais, com algumas exceções.
17)Definição intransponível do conceito moralizante de subsídios;
18)Valorização de toda e qualquer legislação que promova, garanta e mantenha o acesso das pessoas à saúde pública de qualidade.