Astronauta Marcos Pontes aponta investimentos em ciência e tecnologia no governo Bolsonaro

Astronauta Marcos Pontes fez palestra no Recife e falou dos planos para o Ministério de Ciência e Tecnologia - Julya Caminha/Folha de Pernambuco

Marcos Pontes, o primeiro astronauta brasileiro, tenente-coronel da reserva apontado para assumir o Ministério da Ciência e Tecnologia do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL), esteve no Recife fazendo palestra no Torneio Sesi de Robótica, nesta segunda-feira (29). Ele falou sobre o desafio de assumir a pasta: "Tenho a sinalização positiva do presidente [Bolsonaro] de que ele vai voltar a investir em Ciência e Tecnologia no País e voltaremos a níveis talvez maiores do que a gente nunca teve", afirmou.

Bolsonaro já havia se referido a Pontes como "um patriota, tem conhecimento e vontade de mudar as coisas e tem uma iniciativa muito grande”. Pontes reafirma: "Eu jurei à Força Aérea que iria defender o País de inimigos externos e internos mesmo com sacrifício da própria vida. Para vocês entenderem o grau de determinação que a gente tem em servir o País", disse.

Confira trecho da fala de Pontes durante a palestra no Recife:



"Hoje recebo uma missão diferente, até maior, a de ser o ministro de Ciência e Tecnologia. É uma responsabilidade enorme esse tipo de coisa. Sempre vai dar aquele friozinho na barriga, você fala: 'será que eu vou conseguir?'. Eu vou conseguir sim, como eu sempre fiz na minha vida. Vou continuar porque eu acredito nas pessoas, acredito que, juntos, a gente pode fazer o País que a gente quer. Tenho a qualificação? Tenho. Tenho a determinação? Tenho. O que eu preciso ter é vocês me ajudando a carregar essa bandeira do Brasil. Confio na competência e patriotismo de cada um de vocês.

Confira outro trecho da fala de Pontes durante a palestra no Recife:


"O Ministério é bem grande. Temos um time muito bom pra trabalhar, ninguém faz nada sozinho", comenta. Entre os setores que devem receber atenção no cargo ele cita o de formação e recursos humanos. "Essa conexão da ciência e tecnologia com a educação. Não tenha dúvida de que vou empurrar com toda força para garantir essa conexão maior. Nas escolas públicas ter mais ciência e tecnologia, astronomia etc. É legal, isso é importante", comentou Pontes.

Segundo o futuro ministro, a pesquisa também precisa de investimentos fortes, assim como a promoção da carreira de pesquisador. "É importante demais em qualquer país e a gente não vê essa promoção aqui no Brasil, precisa promover essa carreira", disse, citando ainda a intenção de apostar em inovação e ações nacionais e internacionais, sem entrar em detalhes.

Empolgado, ele disse que conta com a participação das pessoas na missão. "Eu vou aparecer na estação espacial com a bandeira do Brasil. Espero que vocês estejam comigo da próxima vez que eu for ao espaço, que estejam comigo na ciência e tecnologia e que vocês também façam parte disso. Não desistam do Brasil".

Leia também:
Os possíveis homens fortes do governo Bolsonaro
Equipe econômica de Bolsonaro quer remanejar verba do Orçamento
Macron alfineta Bolsonaro sobre possível saída do Acordo de Paris
Plano de Bolsonaro para segurança ainda é incógnita para setor

Equipe

Além de Pontes, Bolsonaro já havia confirmado outros três nomes dos 15 ministros que pretende ter: Paulo Guedes para a pasta de Economia, Onyx Lorenzoni para a Casa Civil, e o general da reserva Augusto Heleno para a Defesa. O candidato também disse que irá fundir as pastas da Agricultura e Meio Ambiente e que o escolhido para a pasta será um nome sugerido pelo setor do agronegócio.