Ato de desagravo pede a saída de Michele Collins de comissão

Ato contra a intolerância religiosa e em resposta a postagem da vereadora do Recife Michelle Collins, acontece no Memorial Águas de Iemanjá localizado no Pina - Henrique Genecy/Folha de Pernambuco

Depois da polêmica envolvendo a vereadora mais votada do Recife, Michele Collins (PP), comunidades tradicionais realizaram, nesta sexta-feira (16), ‘Xirê para a rainha do mar’, em ato de desagravo como resposta a uma publicação feita pela parlamentar numa rede social. “Nós estamos fazendo um xirê de repúdio a esse comportamento, inaceitável”, explicou Marcos Pereira, um dos organizadores do Xirê. O ato contra a intolerância religiosa é realizado no Memorial Águas de Iemanjá localizado no Pina, na Zona Sul.

No início do mês, a Igreja Família 61 realizou, na Orla de Boa Viagem, o evento religioso, chamado de “uma noite de interseção no Recife”. A vereadora, que é presidente da Comissão de Direitos Humanos da Câmara Municipal, utilizou as redes sociais para divulgar o ato e, em sua publicação, ela escreveu que o grupo estaria “clamando e quebrando toda a maldição de Iemanjá”.

O Ministério Público de Pernambuco (MPPE) abriu inquérito civil para apurar a denúncia de intolerância religiosa, a portaria foi publicada no Diário Oficial do último sábado e é assinada pelo 7º promotor de Justiça de Defesa da Cidadania, Promoção e Defesa dos Direitos Humanos, Westey Conde. Representações de comunidades de terreiro também foram notificadas e devem depor no dia 21 de fevereiro.

Ato contra Intolerância Religiosa

Ato contra Intolerância Religiosa - Crédito: Henrique Genecy


Ainda de acordo com Marcos Pereira, as comunidades também vão pedir por uma medida disciplinar na Casa José Mariano.“A gente vai pedir que ela seja deposta da Comissão de Direitos Humanos da Câmara dos Vereadores e processá-la por injúria e também a questão do conceito com relação a religião”, explicou.