Estéfano Menudo se apresenta no Cotel

O vereador do Recife Estéfano Menudo (PSB) se apresentou, espontaneamente, nesta terça-feira (29), no Centro de Observação e Triagem Everardo Luna (Cotel), em Abreu e Lima.

De acordo com o promotor da Vara de Execuções Penais do Estado, Marcellus Ugiette, a decisão teria partido do próprio legislador.

“A família dele me procurou com o advogado e falou sobre o mandado de prisão. Ele estava trabalhando e decidiu se apresentar no Cotel”, afirmou. 

Leia também: STJ pede prisão imediata de Estefano Menudo 

Menudo é acusado de ter cometido os crimes de tortura e concussão - ato de exigir dinheiro ou vantagem em razão da função que exerce -, no caso, de policial civil.

Na manhã desta terça, a Polícia Civil realizou uma operação, por meio das equipes da Coordenação de Operações e Recursos Especiais (Core), do Grupo de Operações Especiais (GOE), da Delegacia de Crimes contra a Administração e Serviços Públicos (Decasp), na casa do legislador, no Bongi, que não estava no local. 

No último dia 17, o Supremo Tribunal de Justiça (STJ) expediu um mandado de prisão imediata. A decisão foi recebida na 4ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE). Nessa segunda-feira, o juiz Honório Gomes do Rego Filho determinou o cumprimento da decisão do STJ.

Ainda de acordo com Ugiette, outros dois policiais civis aposentados, identificados como Carlson Pessoa da Silva e Walter Renato de Souza, que cometeram os mesmos crimes que o socialista e que foram apontados como réus pelo STF, também se entregaram à Justiça.

Na decisão despachada nessa segunda, no TJPE, o o juiz pede ainda a prisão dos comerciantes Uraquitan José Brito Wanderley Filho e Frederico Augusto Sobral Pimentel.

 

 

Veja também

Com avanço do desmatamento, Mourão ouve cobrança de estrangeiros por resultado
Desmatamento

Com avanço do desmatamento, Mourão ouve cobrança de estrangeiros por resultado

Câmara aprova medidas para proteger vítimas de violência doméstica
Violência Doméstica

Câmara aprova medidas para proteger vítimas de violência doméstica