Governo inicia pesquisa com mulheres sobre mercado de trabalho

esta primeira etapa, equipe ouvirá 380 mulheres em Camaragibe.  - Lins Andrade

Na próxima quinta (17), uma equipe do Pernambuco com Elas começa uma pesquisa com mulheres do Estado, sobre a sua inserção no mercado de trabalho. A ideia é construir um perfil, identificar problemas e potencialidades. O diagnóstico irá subsidiar o encaminhamento de ações e políticas públicas de geração de emprego e renda para a população feminina.

Nesta primeira etapa, serão ouvidas 380 mulheres em Camaragibe. A escolha levou em conta números de desigualdade de gênero. De acordo com levantamento feito pela Secretaria de Planejamento e Gestão, com base em dados da Rais e do Caged, trata-se do município da Região Metropolitana do Recife com a relação menos desigual entre homens e mulheres, quando o assunto é mercado de trabalho formal. Para cada mulher empregada, há 1,2 homens empregados.

Em seguida, a equipe do Pernambuco com Elas irá a Goiana, onde, apesar da inauguração de empreendimentos geradores de emprego, as mulheres estão em maior desvantagem na RMR. Para cada mulher empregada, há aproximadamente 3,5 homens empregados.

Um grupo de 16 pessoas irá até as cidades, aplicar um questionário que procura saber mais sobre as mulheres, grau de instrução, experiência profissional, quais as dificuldades para se inserir ou evoluir no mundo produtivo e quais as suas motivações e expectativas em relação ao futuro.

Também farão parte da pesquisa outros quatro municípios, no Agreste e Sertão pernambucanos. A ideia é que esses seis locais abriguem a experiência-piloto do Pernambuco Com Elas, que reúne as ações do Grupo de Trabalho sobre Mulheres e o Mercado de Trabalho em Pernambuco, instituído pelo decreto Nº47.386, de 30 de abril de 2019.

O objetivo é fortalecer, direcionar e ampliar as políticas públicas de trabalho e renda para mulheres, que serão avaliadas e vão contribuir para a construção do Pacto pelo Emprego, através do fortalecimento das mulheres no setor produtivo.

Fóruns setoriais

Paralelamente à pesquisa com as mulheres, também estão sendo ouvidos setores da sociedade que guardam relação com o tema. Na próxima semana, o Pernambuco Com Elas dá continuidade a esses fóruns de diálogo.

No dia 22, às 10h, reúne representantes da área de Conhecimento e Educação. Já no dia 24, às 15h, é a vez do segmento do Turismo. A ideia é colher propostas e informações, mapear ações já existentes, pensar parcerias e identificar potencialidades. Tudo isso para, a partir da construção coletiva, pactuar um Plano de Ação, em defesa de criação de oportunidades para as mulheres. O primeiro fórum aconteceu em setembro, com representantes do Sistema S.

Governo articulado

O Pernambuco Com Elas, coordenado pela Vice-Governadoria, pretende envolver todas as esferas do governo e da sociedade em um grande esforço pela inserção e valorização das mulheres no mundo do trabalho. No início do mês, por exemplo, o secretário de Desenvolvimento Econômico, Bruno Schwambach anunciou um recorte de gênero dentro do programa Força Local, de fortalecimento dos arranjos produtivos locais (APLs).

Os chamamentos públicos inseridos no escopo do programa Força Local trazem a preocupação de estimular e contemplar uma maior participação das mulheres nas políticas públicas de trabalho e renda. Dessa forma, haverá pontuação extra (10%) para os casos em que 80% dos beneficiários dos projetos forem mulheres.

“Acreditamos que a autonomia financeira pode transformar a vida das mulheres, porque ela contribui diretamente para o empoderamento feminino e o combate à violência de gênero e ao machismo. Quando uma mulher está bem colocada no mercado de trabalho, isso tem impacto direto na qualidade de vida das famílias e também na economia”, defende a vice-governadora, Luciana Santos.