Governo realizará ações sobre causa das manchas de óleo

Em reunião realizada nesta sexta-feira (6), a Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas), a Agência Estadual de Meio Ambiente (CPRH) e o Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) traçaram uma série de ações para identificar os responsáveis pelas manchas de óleo que atingiram as praias do litoral Norte e Sul do Estado. A força-tarefa também conta com a participação de professores e técnicos do Departamento de Oceanografia da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), Capitania dos Portos de Pernambuco (CPPE) e do Porto de Suape.

Entre as medidas acordadas, estão a realização de um sobrevoo no litoral com o Corpo de Bombeiros; e a solicitação à Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE) e à Suape de imagens de satélites da área costeira de norte a sul do Estado, referentes às últimas quatro semanas. Todo o material será enviado ao departamento de oceanografia da UFPE. O objetivo é identificar os prováveis pontos de origens e qual o navio responsável pelo dano. Também será enviado aos municípios litorâneos um documento com orientações sobre a limpeza das praias.

A Capitania dos Portos já coletou amostras do óleo nas praias de Tamandaré e de Piedade, e encaminhou para um laboratório na Paraíba, que identificará o tipo e o provável tempo em que o produto foi jogado. Segundo a superintendente substituta do Ibama, Lisânia Pedrosa, o órgão também vai acionar a coordenação geral de emergência ambiental em Brasília para verificação oceânica. A intenção é obter mais informações e até verificar a possibilidade de um maior apoio nas ações em curso.

As manchas de óleo começaram a aparecer no último domingo (1), na praia de Jacumã (Paraíba) e a última aparição, na quinta-feira (05) na praia do Bessa, também na Paraíba, e na ilha de Cocaia, no Cabo de Santo Agostinho. Foram identificadas manchas ainda nas praias de Del Chifre (Olinda), Boa Viagem (Recife), Piedade (Jaboatão dos Guararapes) e Cupe e Gamboa (Ipojuca). Também foram encontradas duas tartarugas mortas com óleo na Ilha de Cocaia, no Cabo de Santo Agostinho (PE), e na praia do Bessa (PB).

Participaram da reunião, realizada na sede do Ibama, em Casa Forte: Lisânia Pedrosa, Superintendente substituta do Ibama; José Bertotti, secretário estadual de Meio Ambiente; Maurício Guerra, superintendente de Biodiversidade da Semas; Eduardo Elvino, diretor de Controle de Fontes Poluidoras da CPRH; Marcus Silva, professor de oceanografia física da UFPE; Leonardo Bruto, biólogo e técnico do laboratório de oceanografia da UFPE; Comandante Figueiredo, da CPPE; os primeiros-tenentes Quiossa e Caio Lacerda (CPPE); e Paulo Teixeira, coordenador de gestão ambiental portuária de Suape.

Rnest - A CPRH lembra que o aparecimento do piche nas praias não está relacionado ao vazamento de água e óleo ocorrido no último dia 26 de agosto, na Refinaria Abreu, em Ipojuca.

Veja também

Kourtney diz estar livre de 'ambiente tóxico' ao deixar Keeping Up With The Kardashians
Celebridades

Kourtney diz estar livre de 'ambiente tóxico' ao deixar Keeping Up With The Kardashians

Maia quer punições severas em projeto sobre fake news
Câmara

Maia quer punições severas em projeto sobre fake news