Morre o ex-vice-governador de Pernambuco Paulo Gustavo Cunha

Ex-vice-governador Gustavo Cunha - Divulgação

Morreu aos 84 anos, o ex-vice-governador de Pernambuco Paulo Gustavo de Araujo Cunha na manhã desta quinta-feira (28). Figura importante no setor industrial no Estado, Cunha foi vice-governador de Moura Cavalcanti no período de 1975 a 1979 e vice-presidente da Federação das Indústrias do Estado de Pernambuco na gestão do ex-senador Armando Monteiro (PTB). O sepultamento ocorrerá amanhã, a partir das 10h, no Morada da Paz, em Paulista.

O presidente da Federação das Indústrias do Estado de Pernambuco, o empresário Ricardo Essinger, lamentou a morte do amigo. “Foi uma grande perda. Um companheiro que muito colaborou. Durante muitos anos foi diretor do Centro Internacional de Negócio e foi do Sindicato da Indústria Química. Foi um batalhador pela indústria. É realmente uma perda para Pernambuco.

Ex-senador Armando Monteiro destacou sua tristeza com a notícia, lembrando que conviveu por muito tempo com Paulo Gustavo Araújo Cunha. Monteiro também ressaltou sua admiração pelo homem público e pelas qualidades pessoais do amigo. “Pernambuco deve muito a Paulo que nessa área de econômica, a visão que ele tinha que era até antecipadora, ele tinha uma capacidade de olhar para o futuro do estado. Então, ele implantou iniciativas desde os anos 70 que foram muito importantes para Pernambuco. Muito jovem ele foi secretário de Indústria e Comercio; a materialização do projeto de Suape deve muito a ele; a Refinaria de petróleo que veio para Pernambuco teve também em sua participação”, lembrou.

“Pernambuco deve muito a ação de Paulo Augusto, sobretudo na promoção no desenvolvimento de Pernambuco. Ele era uma pessoa extremamente antenada com as tendências do mundo, tinha uma visão muito atualizada da economia mundial. Portanto, Pernambuco sem nenhuma dúvida fica mais pobre, sobretudo levando em conta o quadro humano porque Paulo foi um grande pernambucano. Ele tinha visão, ele realizou e ele tinha amor a Pernambuco. E neste me sinto muito próxima da família, de sua esposa e filhas, porque tive essa condição de ser amigo dele. Convivemos por muitos anos. E sempre foi uma convivência para mim enriquecedora de ponto de vista pessoal e vou guardar as lembranças da amizade que tivemos. É um dia triste”, lamentou o ex-senador. 

Paulo Gustavo de Araújo Cunha nasceu na cidade de Campina Grande, no Estado da Paraíba, em 31 de outubro de 1936. Mudou-se para o Recife, onde fez curso de graduação em Arquitetura, pela Universidade Federal de Pernambuco, cuja conclusão deu-se em 1960.

No ano de 1968, durante o governo de Nilo Coelho, foi convidado para ser secretário de Estado de Indústria e Comércio de Pernambuco, tendo, naquela época, criado inúmeras entidades, como AD Diper, Empetur, Instituto de Pesos e Medidas. No mesmo período, reformulou a Junta Comercial, o ITEP e desenvolveu o 1º programa de apoio às pequenas empresas - Núcleo de Assistência Industrial - NAI, considerado órgão precursor do atual SEBRAE.

Durante o governo de Eraldo Gueiros, manteve-se na mesma Secretaria. Durante a sua gestão, concebeu e coordenou os primeiros estudos técnicos que findaram na implantação do Complexo Industrial Portuário de Suape.

No período de 1973 a 1975 foi diretor de planejamento do Bompreço S/A, onde implantou e coordenou o programa de expansão e instalação de unidade industrial de sucos, polpas e derivados do tomate.

De 1975 a 1979, durante o governo Moura Cavalcanti, destacou-se como vice-governador do Estado de Pernambuco, através da implantação de políticas públicas inovadoras, o lhe conferiu o recebimento de inúmeros títulos e honrarias naquela época.

Foi presidente da Coperbo S/A, Alumínio Nordeste e Alcoolquímica Nacional, onde desempenhou as funções de administração geral, supervisão da implantação de projetos tecnológicos, start-up e operação industrial.

Em 1989 ocupou o cargo de diretor de desenvolvimento da White Martins Norte/Nordeste, até 1998, cuja administração foi orientada para identificar novos projetos e aplicações, bem como firmar parcerias e relacionamentos com entidades governamentais e usuários de gases industriais.

Como vice-presidente da FIEPE, coordenou programas de cooperação com outros países, participando de negociações internacionais de acordos de livre comércio. Já como membro do Conselho de Integração Internacional da Confederação Nacional da Indústria, propôs ações de inserção internacional da economia brasileira, sobretudo em exportações. Fundador do Sindicato da Indústria Química de Pernambuco, desenvolveu atividades que representam os processos, produtos e matérias-primas de origem química.

Paulo Gustavo Araújo Cunha também foi membro do Conselho de Administração do SEBRAE - Serviço Brasileiro de Apoio às PMEs, e se dedicou a formular políticas de apoio à capacitação e promoção dos PMEs. O político recebeu na Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe), em 2005, o Título de Cidadão Pernambucano, por proposição do então deputado estadual Augusto Coutinho.