Pela primeira vez, líderes da oposição se reúnem para unificar discurso contra o Governo Bolsonaro

Líderes da oposição fizeram, nesta quarta-feira (27), a primeira reunião unificada das oposições na Câmara e no Senado. O objetivo é unificar as ações da Rede, PSB, Psol, PDT, PT PCdoB e Cidadania na oposição ao Governo Bolsonaro. Os antagonistas lutam para construir uma unidade desde as eleições de 2018, mas o objetivo esbarra nas diferentes linhas de atuação de cada partido e nos projetos políticos dos caciques das legendas, que acabam entrando em conflito na maioria das vezes. A reunião dos líderes da legenda foi vista como um primeiro passo para o fortalecimento do grupo.

"Oposição unificada! Nós da oposição nos reunimos hoje p/ alinhar ações em conjunto p/ frear os desmandos, ilegalidades e ataques de Bolsonaro à democracia. A partir de hoje, nossas reuniões ocorrerão regularmente! Participam: Rede, PSB, Psol, PDT, PT, PCdoB e Cidadania”, comemorou o senador Randolfe Rodrigues (Rede).

"Fizemos pela manhã 1ª reunião unificada dos líderes da Oposição no Congresso. Na pauta, a intensificação da nossa luta contra esse desgoverno, afundado em denúncias. Ficou definido tb ato virtual na próxima quarta (3/6) em defesa da liberdade de imprensa”, avaliou o líder do PDT na Câmara, André Figueiredo.

A previsão é de que os encontros passem a ser semanais e um ato em defesa liberdade de imprensa está programado para a próxima segunda-feira (1). Ontem, Líderes do Cidadania, PCdoB, PT, Psol, Rede, PDT, PSB protocolaram na PGR pedido para que se apure suposto crime de responsabilidade cometido pelo ministro da Educação, Abraham Weintraub. Foi mais uma das sinalizações de tentativa de construção da unidade das oposições na Casa.

Veja também

Com avanço do desmatamento, Mourão ouve cobrança de estrangeiros por resultado
Desmatamento

Com avanço do desmatamento, Mourão ouve cobrança de estrangeiros por resultado

Câmara aprova medidas para proteger vítimas de violência doméstica
Violência Doméstica

Câmara aprova medidas para proteger vítimas de violência doméstica