[Podcast] Para Joaquim, oposição devia anunciar chapa só depois da Copa

Joaquim Francisco sente preocupação com o extremismo político desta eleição - Jedson Nobre/Folha de Pernambuco

Para o ex-governador Joaquim Francisco (PSDB), a oposição se antecipou ao agendar o evento que irá anunciar os nomes da chapa majoritária deste ano. Depois de adiar por diversas vezes, o bloco decidiu remarcar o encontro para o dia 11 de junho, em razão da crise de abastecimento atual. Mas, na visão do tucano, o ato deveria ter sido jogado para depois da copa do mundo.

Primeiro que não devia ter marcado. Depois que marcou, devia ter marcado para depois da copa. Fui olhar o painel dos estados e não tem nenhum lugar com decisões tomadas. Minas está enrolado, São Paulo e Rio Grande do Sul também. Está todo mundo sem saber para que lado vai. Então porque Pernambuco tem que resolver agora? Até o lado do governador não tem nada decidido”, colocou, em entrevista ao programa Folha Política desta quinta-feira (31).

Leia também
Para Mendonça, reação de Temer contra a crise foi 'lenta'
Armando diz que “crise estava contratada”


Senado
Questionado sobre a indicação do PSDB para uma vaga ao Senado, disse que a preferência era do deputado federal Bruno Araújo, mas ele prefere disputar a reeleição na Câmara. “Mas o PSDB participará da chapa majoritária. Temos nomes como Betinho Gomes, Teresinha Nunes, João Lyra e André Regis. Deve sair um desses nomes”, disse.

Segundo o ex-governador, o partido deve tomar uma decisão nesse sentido coletivamente. “Devemos fazer uma reunião de portas fechadas. De lá de dentro sai o consenso. Mas não ainda anão temos nada agendado”, colocou Joaquim Francisco, que mantém contatos regulares com outros membros do grupo, como o senador Armando Monteiro, escolhido para disputar o governo, para montar a plataforma de campanha.

Confira a íntegra da entrevista no Podcast Folhape: