Prefeito lança Bolsa Atleta Recife e já é realidade para 109 promessas

O benefício da Bolsa Atleta é concedido a partir das medalhas obtidas no ano anterior, sendo assim, o programa já começa com 109 atletas habilitados - Andréa Rêgo Barros/ PCR

O prefeito Geraldo Julio (PSB) lançou o programa Bolsa Atleta Recife, nesta sexta-feira (3), que vai conceder bolsas mensais, com valores entre R$ 300 e 500, para atletas e paratletas, entre 12 e 17 anos de idade, que estiverem nos critérios estabelecidos pelo programa. O programa paga a bolsa com base nos resultados conquistados pelos atletas e paratletas nos Jogos Escolares do Recife, Jogos Escolares de Pernambuco (JEPs) e no programa Recife Esportes de Rendimento.

"Lançamos agora o programa Bolsa Atleta Recife que é para os nossos atletas da rede municipal, que são medalhistas nos jogos escolares recifenses, que nós reabrimos, nos jogos estaduais também, e com isso eles poderão se dedicar mais aos estudos e às práticas esportivas, e conseguir cada vez melhores resultados, quem sabe, virando atletas profissionais no futuro. Essa bolsa ajuda na formação de todos eles, esses que agora já são bolsistas e todos aqueles que querem alcançar resultados, buscar essa bolsa e ter oportunidade de no futuro poder ser um atleta de alto rendimento. Mas o impacto ele é mais largo porque ele alcança todo mundo, todos os alunos passam a despertar para a prática esportiva e passam a desejar ser no futuro um atleta de destaque", explicou o prefeito Geraldo Julio, que anunciou a iniciativa da gestão na quadra Escola Municipal Antônio de Brito Alves, situada na Mustardinha.

O programa Bolsa Atleta será dividido em três categorias. Na categoria Estudantil Municipal, o programa beneficiará com R$ 300 reais mensais os estudantes da Rede Municipal de Ensino que conquistarem medalha de ouro nos Jogos Escolares do Recife. Outra categoria é a Estudantil Estadual, que destinará R$ 400 reais mensais aos estudantes da Rede Municipal de Ensino que ganharem medalha de ouro ou prata nos Jogos Escolares Pernambucanos. Já na modalidade Atleta Recife, a prefeitura pagará R$ 500 reais mensais para os atletas/paratletas que participem do programa Recife Esportes de Rendimento e conquistem medalhas em competições oficiais.

A secretária executiva de Esportes da Prefeitura do Recife, a ex-atleta Yane Marques, comentou a importância do programa. "A gente deu um "start" hoje em um programa que vai fazer história. Essa ajuda de custo vai ser um divisor de águas na vida deles. A gente quer que, na dúvida, eles escolham pelo esporte, que por si educa. E não é que o esporte necessariamente vai trazer uma vitória materializada numa medalha, mas falamos aqui de uma vitória na vida", enfatizou.

O benefício da Bolsa Atleta é concedido a partir das medalhas obtidas no ano anterior, sendo assim, o programa já começa com 109 atletas habilitados, que conquistaram o direito em 2018. Para solicitar o benefício, os responsáveis pelos jovens deverão enviar requerimento, solicitado junto à Secretaria de Turismo, Esportes e Lazer, mediante o preenchimento de formulário de inscrição e apresentação de documentação que comprove os resultados.

Emily Emanuela, estudante da Escola Municipal Dom Bosco, de Jardim São Paulo, é uma das contempladas com a Bolsa Atleta e falou de como o recurso será importante para seu desenvolvimento. "Representa muita coisa, vai melhorar minha vida, me ajudar a comprar alguns materiais pro esporte. Vai ser muito importante esse auxílio", comentou animada a jovem de 15 anos, jogadora de Futsal.

O jovem Pedro Alefy, também medalhista de futsal, foi mais um dos que comemorou a iniciativa. "Nem sempre é possível a gente comprar o que precisa e isso às vezes prejudica nossa prática. Com o dinheiro poderemos investir mais no esporte que fazemos e conseguir nos destacar. Estamos muito felizes e animados. Vamos poder treinar e praticar com melhores condições", enfatizou o estudante de 15 anos da Escola Municipal Dom Bosco.

Veja também

Prova de biologia foi uma das mais difíceis da história do Enem
ENEM 2020

Prova de biologia foi uma das mais difíceis da história do Enem

ENEM: prova de ciências da natureza teve equilíbrio nas questões
ENEM 2020

ENEM: prova de ciências da natureza teve equilíbrio nas questões