PT acena para Frente Popular e Marília Arraes pode não ser candidata

Deputada federal Marília Arraes (PT) defende sua candidatura do PT no Recife - Arthur de Souza

Por Luiza Alencar e João Vítor Pascoal, da Folha de Pernambuco

A executiva do PT no Recife se reuniu, nesta quarta-feira (15), para apresentar uma resolução aprovada na última quarta-feira, que aponta um direcionamento para a manutenção da aliança com o PSB e a Frente Popular.

Caso o partido permaneça junto aos socialistas, a candidatura da deputada federal Marília Arraes (PT) à Prefeitura do Recife seria mais uma vez rifada - como ocorreu em 2018, no pleito pelo Governo do Estado - e os petistas apoiariam o deputado federal João Campos (PSB), primo dela.

Dos 14 membros da executiva petista municipal, apenas dois são ligados a Marília e eles não participaram da reunião que definiu a resolução - aprovada por 12 votos. "Reafirmamos que o PT deve permanecer na Frente Popular, dialogando com os setores progressistas da capital", diz um dos trechos do documento.

O presidente do PT no Recife, Cirilo Mota, que é aliado do senador Humberto Costa, afirmou, à reportagem, que a possibilidade de candidatura própria do PT ainda está em debate. Em resposta, Marília Arraes afirmou que recebeu a resolução do diretório municipal com “muita tranquilidade” e que respeita, mas discorda, da posição manifestada por ele.

Leia mais na edição da Folha de Pernambuco desta quinta-feira (16).