'Supremo agiu dentro da Constituição', diz João Campos sobre decisão da Corte

O deputado federal João Campos (PSB-PE) classificou a decisão do Supremo Tribunal Federal  (STF) sobre a prisão em segunda instância como uma questão que "atende a Carta Magna brasileira". Em visita à Folha de Pernambuco na manhã desta sexta (8), Campos foi recebido pelo diretor Operacional do jornal, José Américo Lopes Góis, e citou o Artigo 5º da Constituição Federal para justificar a decisão da Corte.

"É uma questão de direito constitucional. Sobre esse assunto, a Constituição é clara, em seu artigo quinto, que garante que 'ninguem será considerado culpado até que se conclua o trânsito julgado de sentença penal condenatória'", afirmou o congressista. "É uma cláusula pétria, que não pode ser mudada, foi instituída pelos constituintes originários. Portanto, o Supremo fez o que é certo, não se pode mudar o entendimento sobre uma cláusula pétria.", completou.

Leia também:
Perguntas e respostas sobre a decisão do STF
Maia diz que Congresso não deve enfrentar STF sobre prisão após 2ª instância
Após decisão do STF, defesa de Lula diz que vai pedir soltura nesta sexta

Com o voto de minerva do Presidente o STF, o ministro Dias Toffoli, a Suprema Corte decidiu, na noite dessa quinta-feira (7), que os réus só podem ser presos somente após o fim do processo ou com o esgotamento de todos os recursos. O julgamento terminou com um placar de 6x5 em favor da prisão apenas após a decisão em última instância.

Com a determinação do STF, os condenados que foram presos com base na decisão anterior podem ser liberados.

Veja também

Padre diz que Bolsonaro é 'bandido' e que eleitor dele tem que se confessar
Crítica

Padre diz que Bolsonaro é 'bandido' e que eleitor dele tem que se confessar

Israel lança ataques sobre Gaza após disparos de foguetes
Mundo

Israel lança ataques sobre Gaza após disparos de foguetes