A disputa dos candidatos a prefeito do Recife pelo fim da “indústria da multa”

Poucas pautas têm se apresentado com tanta frequência entre os candidatos à Prefeitura do Recife quanto a que promete o fim da chamada "indústria da multa". Até o momento, ao menos quatro candidaturas da direita recifense já assumiram compromissos relacionadas a ela. Ontem, foi a vez da Delegada Patrícia (Podemos) colocar o tema em debate, por meio de encontro com motoristas de aplicativos. Em frente à sede da CTTU (Autarquia de Trânsito e Transporte Urbano do Recife), Patrícia esteve reunida com lideranças do segmento e assumiu o compromisso de dar um fim à "indústria". 

"Nosso compromisso é acabar com a indústria das multas no Recife. Em nossa gestão, a guarda municipal será utilizada, prioritariamente, para fazer a nossa segurança e a segurança da nossa cidade e não para servir como um chicote contra a população", defendeu a candidata. 

Também reunido com motoristas de aplicativo, mas na última terça-feira, o coronel Alberto Feitosa, candidato a prefeito pelo PSC, se comprometeu com a mesma pauta. "Você que é motorista de aplicativo, de táxi e cidadão de bem, a indústria da multa vai acabar. É a primeira coisa que eu farei ao assumir a Prefeitura do Recife", garantiu. O tema, inclusive, já gerou embate e provocação entre candidatos. Marco Aurélio, postulante à Prefeitura do Recife pelo PRTB, postou, na semana passada, um vídeo em sua conta do Instagram, no qual se colocava como o primeiro, entre os candidatos a prefeito, que teceu críticas à "Indústria da Multa no Recife". 

No mesmo vídeo, ele insinuou que Mendonça Filho (DEM) tenta copiar a sua pauta. "Na eleição sempre aparecem os oportunistas. Em 2017, apresentei o Projeto de Lei que determinava o desligamento das lombadas eletrônicas nos horários de pico. Agora querem 'pegar carona' nesta pauta, mas lá atrás nunca criticaram a sanha arrecadatória das multas em nossa cidade. Meu compromisso é de acabar de vez com a Indústria da Multa no Recife", disse.

As acusações de Marco Aurélio ocorreram após visita de Mendonça Filho, também na semana passada, ao bairro do Passarinho, onde o democrata conversou com motoristas de aplicativos que se queixavam sobre a quantidade de multas recebidas nas ruas recifenses. Na ocasião, o democrata, assim como os demais candidatos da direita, enfatizou que vai "acabar com a indústria da multa" da Capital pernambucana e, inclusive, se comprometeu a colocar em seu programa de governo a proibição de "radares escondidos" para a aplicação de multas.