Após polêmica, Jair Bolsonaro sai em defesa do ministro Carlos Alberto Decotelli

Após encontro com o presidente Jair Bolsonaro, nesta segunda-feira (29), o ministro da Educação, Carlos Alberto Decotelli, parece ter ganhado novo fôlego para continuar à frente do cargo. Em suas redes sociais, Jair Bolsonaro escreveu que "por inadequações curriculares o professor vem enfrentando todas as formas de deslegitimação para o ministério".

"O Sr. Decotelli não pretende ser um problema para a sua pasta (Governo), bem como, está ciente de seu equívoco", disse o presidente. "Todos aqueles que conviveram com ele comprovam sua capacidade para construir uma Educação inclusiva e de oportunidades para todos", afirmou.

Constava no currículo de Decotelli um doutorado pela Universidade Nacional de Rosario, da Argentina, mas o próprio reitor da instituição, Franco Bartolacci, negou que ele tenha obtido o título, informação antecipada pela coluna Mônica Bergamo. Há ainda sinais de plágio na sua dissertação de mestrado.

A Universidade de Wuppertal, na Alemanha, também informou que o novo ministro não possui título da instituição, ao contrário do que constava em seu currículo. Decotelli fez parte da transição do governo no grupo, de forte presença militar, que discutia educação. Com a indicação de Ricardo Vélez Rodríguez para o comando da pasta, ele assumiu o FNDE (Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação).

 

Veja também

Senador Sérgio Petecão está com a Covid-19
Novo coronavírus

Senador Sérgio Petecão está com a Covid-19

Fiocruz: estudo aponta medicamento de ação prolongada contra HIV
saúde

Fiocruz: estudo aponta medicamento de ação prolongada contra HIV