Audiência da Comissão de Assuntos Sociais alerta para riscos da  comercialização do sangue

Comissão do Senado realizou audiência no Recife. - Roberto Stuckert Filho

Parlamentares, pesquisadores, representantes do Ministério da Saúde e da sociedade civil foram uníssonos em alertar sobre os perigos da comercialização do sangue no Brasil durante audiência pública da Comissão de Assuntos Sociais (CAS) do Senado, realizada nesta segunda-feira (24), em Pernambuco. 

Tramita no Congresso Nacional a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) nº 10, que altera o parágrafo 4º, do artigo 199, da Constituição, para permitir que o plasma, componente do sangue, se torne um produto negociado no mercado. A proposta pode gerar sérias implicações para o Sistema Único de Saúde (SUS), especialmente para a Empresa Brasileira de Hemoderivados e Biotecnologia (Hemobrás), instalada no município de Goiana, na Zona da Mata Norte do Estado.

 

Para uma plateia que lotou o Plenarinho da Câmara Municipal do Recife, o senador e presidente da CAS, Humberto Costa (PT), destacou a importância da Hemobrás para Pernambuco e os riscos da aprovação da PEC para o estado e para o Brasil.

"A Organização Mundial da Saúde recomenda que seja voluntária e gratuita, a doação, e o Brasil tem assegurada essa determinação na sua Constituição. A Hemobrás foi criada exatamente neste contexto: para garantir o abastecimento de hemoderivados para o nosso Sistema Único de Saúde. Não podemos retroceder. O Brasil não pode abrir um balcão de comercialização de um produto tão importante como o plasma, em prejuízo dos interesses país e de seu povo", afirmou o senador. 

O presidente da Hemobrás, Antônio Edson, endossou as declarações do senador e afirmou que a medida privilegia o mercado internacional, em detrimento dos interesses do Brasil. "Somos contra a PEC porque ela não foi criada visando ao interesse público.  A PEC é prejudicial para a Hemobrás e para o Brasil", disse. 

O diretor do Departamento do Complexo Industrial e Inovação em Saúde (DECEIIS), Leandro Safatle, destacou a importância da Hemobrás para Pernambuco e para o mercado de saúde no Brasil.

"A Hemobrás é uma grande aposta de desenvolvimento no Nordeste na área da saúde. Este é um momento decisivo para alavancar o setor e para garantir que o Brasil tenha mais independência numa área tão estratégica. A gente tá falando de um setor em que o Brasil é altamente dependente. A Hemobrás vai possibilitar a gente seguir no processo de autonomia e independência", afirmou.

Pela manhã, a comitiva visitou as instalações da Hemobrás para verificar a implementação do parque industrial. A expectativa é de que em outubro deste ano, uma nova fase, responsável pelo processamento do Fator 8, seja inaugurada. "Ficamos bastante impressionados com os avanços e com a relevância que esse investimento tem para a política de sangue no Brasil", disse o senador Humberto. Também integraram a comitiva a senadora Zenaide Maia (PSD-RN), o superintendente do Ministério da Saúde, Rosano Carvalho, o representante do Conselho Nacional de Secertários de Saúde (Conass), Leonardo Vilela, e do Conselho Nacional de Secretários Municipais de Saúde (Conasems), Elton Chaves.

Veja também

Alckmin comemora dados de produção agroindustrial em abril
agroindústria

Alckmin comemora dados de produção agroindustrial em abril

Resultado da Mega-Sena 2.740: veja as dezenas sorteadas; prêmio é de R$ 84,2 milhões
Mega-Sena

Resultado da Mega-Sena 2.740: veja as dezenas sorteadas; prêmio é de R$ 84,2 milhões

Newsletter