Augusto Coutinho defende projeto de nova escola de sargentos do Exército em Pernambuco

Pernambuco pode receber a nova escola de sargentos do Exército no município de Abreu e Lima, na Região Metropolitana do Recife. Nesta terça-feira (6), o deputado federal Augusto Coutinho (Solidariedade-PE) esteve com o governador de Pernambuco, Paulo Câmara, e com os generais Gomes de Mattos e Alcio Costa em defesa desta escola. “Nós estamos apoiando esta pauta há algum tempo. Na última semana, por exemplo, eu estive no Comando do IV Exército em conversas defendendo os interesses do nosso estado neste projeto”, comentou o deputado.

O projeto da nova escola tem grandes dimensões e deve abranger outros municípios, como Paudalho, Tracunhaém, Araçoiaba, Camaragibe, São Lourenço e Igarassu. Das 13 cidades concorrentes ao projeto no país, apenas Abreu e Lima (PE), Santa Maria (RS) e Ponta Grossa (PR) estão na disputa para sediar a escola de sargentos. Para se ter ideia da sua importância, ela seria construída numa área de 1.235 km dentro do Campo de Instrução Marechal Newton Cavalcanti (CIMNC).
 
O projeto inclui a construção da escola, de uma vila olímpica, vila militar e estande de tiro dentro da área do campo de instrução. A previsão é que se candidatem para a escola, por ano, 140 mil pessoas de todo o Brasil. O efetivo militar da escola, incluindo familiares, é de 10 mil pessoas.

Além das seis armas, a nova escola do Exército irá formar militares do Quadro de Material Bélico, Serviço de Saúde, Música, Topografia e Aviação do Exército. A projeção é que se tenha em torno de 2,4 mil alunos e um corpo docente e apoio com 1.8 mil militares. “A folha de pagamento prevista é de R$ 100 milhões e com perspectiva de investimentos de R$ 1 bilhão. Esse é um empreendimento que traria oportunidades aos novos jovens e movimentaria a economia pernambucana”, comentou Augusto.

Veja também

Kirchner e Lula defendem renovação da política e reconstrução da unidade latino-americana
Política

Kirchner e Lula defendem renovação da política e reconstrução da unidade latino-americana

Fachin proíbe PF de qualquer ato de investigação a partir da delação de Sérgio Cabral

Fachin proíbe PF de qualquer ato de investigação a partir da delação de Sérgio Cabral