Banco do Nordeste libera R$ 5 milhões em crédito para negócios rurais de Pernambuco

Ao todo, 44 famílias rurais foram atendidas pelo BNB na ação desta sexta-feira (1°)

Paulo Câmara, presidente do Banco do Nordeste, assinando contratos de concessão de crédito - Foto: divulgação

O presidente o Banco do Nordeste (BNB), Paulo Câmara, assinou, nesta sexta-feira (1º), contratos de agronegócio e agricultura familiar para liberação de crédito, que juntos somam quase R$ 5 milhões.

As operações foram registradas durante visita do executivo na 30ª edição do Agrinordeste — que está acontecendo no Centro de Conveções, em Olinda — e somam-se aos R$ 1,1 bilhão já aplicados pelo BNB, este ano, em negócios rurais pernambucanos.

“O BNB responde por cerca de 66% de todo o volume de crédito para agronegócio e agricultura familiar aplicados em Pernambuco. Nosso crédito orientado tem um impacto importante na produção de alimentos, na renda familiar e no negócio rural. Em um estado como Pernambuco, que sabe aproveitar seu potencial no campo, o Banco do Nordeste se coloca como principal parceiro porque tem experiência e entende de crédito rural”, afirmou Paulo Câmara.

As operações realizadas nesta sexta-feira beneficiaram projetos de agricultura familiar de 44 famílias rurais atendidas pelo BNB com recursos do Pronaf Mais e do Pronaf Crescer. Os valores serão liberados para bovinocultura, custeio de produção e Cartão BNB Agro.

"A gente está fazendo um mutirão até o final do ano para tentar atingir mais de R$ 1 bilhão de recursos aplicado aqui em Pernambuco, na área rural. E iremos fazer isso com a celeridade necessária. Até o final do dia, essas pessoas já vão ter o crédito em conta." assegurou Paulo Câmara.

Além das assinaturas dos contratos, também houve apresentações sobre as linhas de crédito e oportunidades de negócios com gestores do Banco. 

 

Veja também

Governo Milei proíbe linguagem inclusiva nas Forças Armadas argentinas
Argentina

Governo Milei proíbe linguagem inclusiva nas Forças Armadas argentinas

Pacote de socorro a aéreas pode chegar a R$ 6 bilhões, diz ministro
Brasil

Pacote de socorro a aéreas pode chegar a R$ 6 bilhões, diz ministro