Candidato da Frente Popular será do PSB, diz presidente estadual da sigla

A definição do candidato a governador da Frente Popular só deve oficialmente sair em 2022. Até o momento apenas algumas condições estão postas na mesa: o candidato precisa ser do PSB e deve ser um quadro orgânico do partido, o que inviabiliza as especulações relacionadas a candidaturas de secretários e de nomes como o do presidente da Assembleia Legislativa de Pernambuco e do ex-ministro do TCU, José Múcio Monteiro.

Após declarações de petistas de que poderiam pleitear o cargo de candidato a governador na chapa da Frente Popular, o presidente do PSB de Pernambuco, Sileno Guedes, afirmou que dentro do arco de alianças liderado pelos socialistas, o PSB é quem vai comandar o palanque. “Na Frente Popular, o candidato será do PSB. Agora, o partido que não estiver na Frente Popular, ele vai ter todo um direito buscar se candidatar seja ao cargo que for. O que está se buscando junto com o PT é uma aliança nacional. Essa aliança nacional, o PSB tem as suas prioridades eleitorais também e políticas, dentre elas, sem sombra de dúvidas passa por Pernambuco”, destacou. Nacionalmente, o PSB coloca como prioridade encabeçar a eleição em seis Estados: Pernambuco, Rio de Janeiro, São Paulo, Rio Grande do Sul, Acre e Espírito Santo.

“E, existe um entendimento da Frente Popular que o PSB, que o governador Paulo Câmara que será o grande coordenador desse processo eleitoral do ano que ano que vem, que ele aponte um nome que irá liderar a chapa com os demais partidos, ou seja, se o PT vier voltar a fazer parte da Frente Popular, já disputamos eleições com o PT, sem o PT, com o PT, já houve tempos disso, eu creio que o PT vá comungar também com o sentimento da Frente Popular”, completou Sileno Guedes.

Nome do candidato

Após o ex-prefeito Geraldo Julio (PSB) ter afirmado a aliados que não deveria concorrer ao cargo, outros nomes foram especulados para ocupar o posto de candidato, mas nenhum deles foi oficializado até o momento. O socialista era colocado como candidato natural para suceder o governador Paulo Câmara (PSB). Segundo Sileno Guedes, mesmo que o nome só seja anunciado no ano que vem, não deve haver dificuldades para a consolidação da imagem do candidato da Frente. 

“Muito mais do que um candidato, a gente aposta num projeto. Então, assim, o que sempre norteou a Frente Popular. O maior exemplo é o governador Paulo Câmara, e o ex-prefeito Geraldo Julio, o ex-prefeito João Campos”, citou Sileno Guedes, presidente do PSB-PE. “Na verdade, mais do que apresentar um nome, ‘Fulaninho’ tem densidade eleitoral, é mais conhecido ou menos conhecido, pra isso que existe campanha eleitoral, e, a gente defende um projeto que vem de muito tempo”, destacou Guedes.

Reuniões

O prefeito do Recife, João Campos (PSB), pontuou que até o momento, as reuniões com as lideranças partidárias ainda não tem se dedicado a abordar o tema das eleições. 

“O processo de diálogo é permanente. Eu diria que não para estar falando de eleição, mas por exemplo, eu fui participar de uma reunião da Frente Nacional de Prefeitos, em Aracaju, eu sou um dos vice-presidentes da Frente, a gente sai com uma série de atribuições de tarefas de procurar a bancada federal os senadores, líderes partidários. Aquelas pautas que repercutem diretamente no município, então a gente tem um processo de diálogo permanente. É a essência da política dialogar, mas a agenda de eleição não está na prioridade do dia”, afirmou.

Veja também

UFPE adia aulas presenciais para fevereiroEducação

UFPE adia aulas presenciais para fevereiro

Moraes, do STF, manda Roberto Jefferson para prisão domiciliarPolítica

Moraes, do STF, manda Roberto Jefferson para prisão domiciliar