Carreata defende prioridade na vacinação das pessoas com deficiência

Andrej Isakovic/AFP

A Carreata Vacina Já, programada para a terça feira, dia 20,  saindo às  11 horas da frente do Classic Hall, terá também ação solidária: a arrecadação  de alimentos não perecíveis,  fraldas infantis (tamanhos G e GG) e  material de higiene e limpeza, que serão distribuídos com famílias carentes que tenham pessoas com deficiência. O objetivo da carreata é sensibilizar os governos do Estado e dos municípios pernambucanos para oferecerem a vacina imediata às pessoas com deficiência.

Alguns grupos, como o das pessoas com Síndrome de Down acima de 18 anos, tem a vacinação prevista  para a terceira fase, junto com as comorbidades, mas o processo precisa ser antecipado, levando em consideração a extrema vulnerabilidade, devido a: dificuldade de seguir medidas de segurança, intolerância sensorial ao uso de máscara, dificuldade de reconhecer e identificar sintomas, baixa imunidade, obesidade, envelhecimento precoce, problemas cardíacos e respiratórios.

Dados internacionais e nacionais, sanitários e epidemiológicos, entre os quais amplo estudo do Center for Disease Control, dos Estados Unidos, aponta a alta incidência de óbitos, muitas  vezes maior em pacientes com comorbidade e deficiência, e que o adiamento da vacinação deles resultará no aumento no número de óbito.

Outro estudo atual comprova esta necessidade, como explica a dra Ana Claúdia  Brandão, membro do Comitê  Científico da FBASD: “ o estudo da T21 Research Society revela que em adultos com Síndrome de Down, o curso da infecção é mais grave e que as taxas de complicações e mortalidade são significativamente mais elevadas do que na população em geral”. Muitos países já priorizaram a vacinação junto com o grupo de idosos: Reino Unido, Holanda, Alemanha, França, Portugal, Itália e alguns estados dos Estados Unidos.

No Brasil, o Piauí começou a vacinação em pessoas com deficiência no mês passado. João Pessoa, Rio Grande do Norte  e Sergipe também aderiram.  No Mato Grosso do Sul, a imunização para o segmento está acontecendo em Sidrolândia, Dourados, Jardim e Campo Grande. Pela grande vulnerabilidade, a espera pode ser fatal, por isso grupos representativos de pessoas com diferentes deficiências estão se organizando para sair numa grande carreata,  da frente do Classic Hall, seguir para a Câmara de Vereadores, Palácio do Governo, Assembleia Legislativa e Prefeitura do Recife.

Não haverá aglomeração, as pessoas vão permanecer nos seus veículos, que serão adesivados e os passageiros receberão máscaras com a logomarca da Carreata Já. Eu exijo #umadosederespeito. A entrega dos alimentos, fraldas e material de higiene e limpeza será feita na concentração da carreata, em frente ao Classic Hall. Não será necessário sair do carro, voluntários farão a coleta. Entre os grupos participantes e apoiadores estão: Federação Brasileira das Associações de Síndrome de Down, Aspad, Fazendo Acontecer, Lidiere Barros Educação Especial, Down +, Instituto Futuro 21, APABB, Projeto Encontro, Rec Down, Mães Guerreiras, Associação dos Pais de Filhos  Autistas,  AMA – Associação de Mães Atípicas, Associação  Mães e Anjos Azuis, Novo Rumo, Mães Conectadas pelo Amor, Deficiente Eficiente, Instituto de Inclusão e Cidadania de Pernambuco, Somar, Amar, Super Mães e Uninassau.

Veja também

Conselho de Ética aprova 'censura verbal' a deputado que quebrou peça sobre consciência negra
Coronel Tadeu

Conselho de Ética aprova 'censura verbal' a deputado que quebrou peça sobre consciência negra

Veja os confrontos das oitavas de final da Copa do Brasil
Sorteio

Veja os confrontos das oitavas de final da Copa do Brasil