Delegada Patrícia se compromete a criar habitacional em Caranguejo Tabaiares

Tiago Calazans

A Delegada Patrícia (Podemos), candidata a prefeita do Recife, cumpriu sua primeira agenda de campanha com uma caminhada na comunidade Caranguejo Tabaiares, Ilha do Retiro, Zona Oeste do Recife. O deputado federal Daniel Coelho (Cidadania), coordenador da campanha, acompanhou a candidata. Ela se comprometeu a dar soluções para os problemas de habitação e saneamento na comunidade.

Patrícia ouviu as reinvindicações de moradores da localidade, que existe há mais de 80 anos na área. "Quando chove a água entra nas casas na beira do canal. E mesmo com essa sujeira toda as crianças pulam aí, nadam. Tem jacaré também sempre. De vez em quando aparece um" disse Welington Fernando, que mora na Caranguejo há 28 anos. Além do saneamento, a questão da moradia é um problema histórico da região.

Nas ruas mais estreitas da comunidade, alguns barracos de madeira se misturam entre pequenas residências de alvenaria. O cenário de pobreza convive lado a lado com edifícios de alto padrão do bairro de classe média da Ilha do Retiro.

Fabiano Barros, 44 anos, desempregado, mora na Caranguejo Tabaiares desde que nasceu. "Tem um terreno particular na frente do canal que em 20 anos já teve duas invasões de moradores. Ninguém usa a área e o povo foi lá e fez as suas casas. Foram retirados por um monte de segurança armado. Um lugar desse tamanho sem uso e as pessoas sem moradoria", lamentou Barros.

"Maria Luzinete, conhecida como Neta, era uma liderança da comunidade e morreu há mais de 10 anos de leptospirose de tanto limpar uma fossa aberta que existe aqui", contou Nadeje Santos, 40 anos, nascida e criada na comunidade. A morte de Neta é sentida até hoje na Caranguejo Tabaiares.

Patrícia conhece de perto a realidade da comunidade. "Escolhi começar a campanha num dos lugares mais esquecidos do Recife. Os nossos adversários votaram contra o marco do saneamento porque das casas deles não conseguem ver isso aqui", disse Patrícia, em frente à fossa onde os moradores contaram que Neta contraiu leptospirose. A obra permanece com o esgoto transbordando.

"Em 20 anos de gestão, esses lugares permanecem ignorados. Mas isso vai mudar. Junto com o povo nós teremos o prazer de inaugurar um habitacional dentro da comunidade Caranguejo Tabaiares. A mudança que a gente quer começa agora", ressaltou Patrícia.