Diretório Nacional do PSOL reforça apoio do partido a Marília Arraes no Recife

O Diretório Nacional do PSOL saiu em defesa da construção de uma política de alianças com os partidos de esquerda nas eleições deste ano. A decisão reconhece a determinação do diretório da sigla no Recife, que aprovou apoio à candidatura de Marília Arraes (PT) para o comando da Capital. Aliados do pré-candidato Paulo Rubem Santiago (PSOL) não aceitaram a decisão e pretendiam recorrer ao comando nacional da agremiação. A posição da nota, assinada pelo presidente nacional do partido, Juliano Medeiros, contudo, reconhece a legitimidade da tática eleitoral da instância local.

No texto, o diretório nacional do PSOL reforça que o partido vem buscando alianças com agremiações em outras cidades como Belém, Macapá, Manaus e Rio Branco. O mesmo deverá se repetir no Recife. "No PSOL quem dá a última palavra são os municípios. Respeitamos as definições locais. E é por isso que reconheço como legítimo o processo de escolha da tática eleitoral que ocorreu esta semana, no Diretório Municipal do Recife", afirmou.

Confira a nota na íntegra:

NOTA SOBRE A DECISÃO DO DIRETÓRIO RECIFE

 O Diretório Nacional do PSOL, reunido ainda no ano de 2019, aprovou a necessária construção de uma política de alianças com os demais partidos situados à esquerda do espectro político. Essa decisão se fundamenta na necessidade de unir a oposição e combater os retrocessos que temos visto em nosso país.

Tendo essa resolução nacional no horizonte, diversos diretórios municipais se articularam para viabilizar a construção de frentes eleitorais. Em Belém, PT e PDT anunciaram apoio à pré-candidatura de Edmilson Rodrigues. Em Florianópolis, diálogo entre PSOL, PT, PDT, PCdoB e PSB está adiantado. Em Recife, o PSOL aprovou apoio a Marília Arraes (PT) e em Macapá, Manaus e Rio Branco estamos trabalhando pela unidade da oposição.

No PSOL quem dá a última palavra são os municípios. Respeitamos as definições locais. E é por isso que reconheço como legítimo o processo de escolha da tática eleitoral que ocorreu esta semana, no Diretório Municipal do Recife.

Há ainda importantes diferenças entre os partidos de oposição. Mas elas podem ser superadas com diálogo e paciência. Derrotar o bolsonarismo eleitoralmente é a segunda tarefa mais importante do ano. A primeira é salvar vidas e vencer a pandemia.

Juliano Medeiros

Presidente Nacional do PSOL