Em reunião sem Marília, PT-PE indica seu nome ao Senado

"Se ela quer ser candidata ao Senado não temos objeção", afirma Doriel Barros

Deputada federal Marília Arraes - Foto: Divulgação

Diante da possibilidade da deputada Marília Arraes deixar o partido, o PT de Pernambuco, em reunião na noite deste domingo (20), do Grupo Tático Eleitoral (GTE), indicou o nome da deputada federal Marília Arraes para ser a postulante ao Senado pelo partido dentro da Frente Popular.

“A gente tem quatro nomes para discussão, não tinha veto a Marília. Hoje, houve reunião do GTE e diante da realidade que a gente tá vivendo, tendo como prioridade a eleição de Lula, não queremos constranger Lula, nem criar problema em Pernambuco, para colocar em risco os votos a Lula e a vitória da Frente Popular, nessa realidade avançamos para indicar a executiva na terça, pudesse apreciar o nome de Marília para ser senadora do PT, frente aos outros nomes colocados, tendo em vista a situação que vivemos e que não gostaríamos que acontecesse”, disse o presidente estadual do PT, deputado estadual Doriel Barros.

“Fizemos já de maneira antecipada, para evitar que isso crie problema e dificuldade. Todos os nomes estavam colocados, mas hoje, com a presidente Gleisi Hoffmann, fizemos esse movimento. Marília é um quadro importante, e se ela quer ser candidata ao senado não temos objeção. Estamos inclusive encaminhando essa proposta”, acrescentou Doriel.  

Além de Marília, também estava entre os nomes colocados para disputar o Senado, o deputado federal Carlos Veras, a deputada estadual Teresa Leitão e o ex-deputado Odacy Amorim. 

Sem Marília
A reunião foi realizada neste domingo sem a presença de Marília Arraes. “Foi ruim ela não ter participado, mas como temos um projeto maior que é a eleição de Lula, precisamos fazer os movimentos que pudermos para não criar dificuldade na Frente Popular nem dificuldade para Lula. Queremos ganhar a eleição de governador, de senador e eleger Lula”, disse Doriel. 

Marília critica
Como resposta à indicação feita pelo PT-PE, Marília divugou uma nota com críticas à forma como episódio foi tratado pelo partido. 

Confira a nota na íntegra:

“A posição do PT de Pernambuco, indicando o meu nome para concorrer ao Senado pela Frente Popular revela, no mínimo, descuido com o tratamento de assunto tão sério e uma precipitação sem limites. Não fui consultada e não autorizei que envolvessem o meu nome em qualquer negociação, menos ainda que tornassem público, como se fossem os senhores do meu destino, sobretudo após meses de desgaste político e público feito por meio da imprensa, escondido sob manto do off e notícias de bastidores. Em 2018, o acordo de cúpula PT/PSB, impediu a minha candidatura ao Governo do Estado, quando lideravamos todas as pesquisas de opinião. Em 2020, nas eleições para a Prefeitura do Recife, a cúpula do PT fez de tudo para inviabilizar politicamente a minha campanha, o que ajudou a dar a vitória ao adversário. E agora, indelicadamente, usam o meu nome, como massa de manobra. Tudo isso não é compatível com o bom senso que deve nos nortear na política. Estou conversando com as lideranças políticas de Pernambuco e, como publiquei em nota, na sexta-feira passada, anunciarei, nos próximos dias, ouvindo o povo, principalmente, o meu caminho nas próximas eleições. Expresso todo o meu apoio, incondicional, à campanha do Presidente Lula para a Presidência da República, com a lealdade e a correção das minhas tradições”.

Veja também

Missão de Observação Eleitoral: termina nesta terça-feira (5) o prazo de credenciamento
Eleições 2022

Missão de Observação Eleitoral: termina nesta terça-feira (5) o prazo de credenciamento

Pesquisa Folha/IPESPE: 50% veem aumento da Covid-19
PANDEMIA

Pesquisa Folha/IPESPE: 50% veem aumento da Covid-19