Feitosa critica trânsito do Recife e também defende "acabar com a indústria da multa"

Divulgação

Celebrado nesta sexta-feira (25), o Dia Nacional do Trânsito surgiu com o objetivo de conscientizar os condutores em busca de um trânsito mais responsável. Além disso, este dia também serve para advertir à população sobre a situação atual do trânsito, que possui um alto índice de acidentes e mortes fatais registradas em todo o Brasil. E no Recife não é diferente. Atento a isso, o pré-candidato à Prefeitura do Recife, Coronel Alberto Feitosa (PSC), está ciente de que a capital pernambucana possui um dos trânsitos mais lentos e perigosos do mundo. 

“Lamentavelmente, Recife tem um dos trânsitos mais lentos do mundo e o que mais mata, principalmente, pedestres, ciclistas e motociclistas”, afirma o Coronel. A capital também sofre com alto número de aplicação de multas, algo que causa lamentos entre os motoristas do Recife.

De acordo com as suas propostas para a cidade, Feitosa garante que a sua intenção é acabar com a “indústria da multa”. A pauta já gerou disputa de paternidade da proposta entre os candidatos a prefeito do Recife Mendonça Filho (DEM) e Marco Aurélio (PRTB). “No meu governo, isso vai acabar. Será a primeira coisa que eu irei fazer com uma gestão firme para disciplinar o trânsito”.

O líder da oposição da Assembleia cobrou o pioneirismo na defesa do fim da indústria da multa e acusou o adversário de "copiar suas ideias".

Entre as suas demais propostas de governo, o pré-candidato pretende implantar a inversão de trânsito em mão única em horários de maior movimento e incentivo ao uso de moto táxis, carros de aplicativo e corona coletiva, além da ampliação de ciclovias e novas rotas para as bicicletas em grandes corredores junto com uma campanha de segurança no trânsito para ciclistas e motoristas. Regulamentar as regras de restrição de veículos de grande porte na área urbana da cidade em horários de fluxo intenso também está dentro do seu plano de governo.