Geraldo Julio ainda é cotado como candidato a governador, diz Paulo Dutra (PSB)

Professor Paulo Dutra afirma que o socialista é o concorrente natural mesmo com outros três nomes

Divulgação

Para o deputado estadual do PSB, professor Paulo Dutra, o ex-prefeito de Recife, Geraldo Julio, ainda é o candidato natural do partido para suceder o governador de Pernambuco, Paulo Câmara, nas eleições de 2022. O ex-prefeito vem negando as investidas do partido, obrigando a legenda a pensar em outros três nomes para o cargo:  os deputados federais  Tadeu Alencar e Danilo Cabral e o secretário da Casa Civil, Zé Neto. 

“Cabe ao governador fazer essa escolha. São nomes que a gente admira e que a gente já tem junto no PSB como o Tadeu Alencar, Zé Neto, o próprio Danilo Cabral, e eu acredito que o governador está sendo muito sábio nessa condição. E a gente tá aqui pra ir pra luta mesmo. Quando ele anunciar o candidato, que a gente una não só o PSB, mas toda a Frente Popular, porque a gente precisa mesmo é defender o legado, o trabalho que o PSB tem feito durante todos esses anos e fazer a sucessão”, enfatizou em entrevista para a Rádio Folha 96,7 nesta quarta-feira (26).

O parlamentar acrescentou que, mesmo com muitos possíveis candidatos competentes, o mais importante é lutar por um projeto maior, não por um nome.

Benefícios da Federação 

Defendendo a federação como uma possibilidade de fortalecer a democracia, o deputado nega a possibilidade do PSB perder a autonomia caso a federação com PT seja oficializada.  “Eu não vejo como uma perda não. Vamos chamar de uma divisão de poder. É importante ter clareza que essa federação vai implicar por quatro anos. E eu acredito que o importante da federação é isso mesmo. A gente precisa pensar em fortalecer os projetos, a gente tem que acabar com o individualismo, a gente tem que acabar, ou pelo menos diminuir, com os donos de partido, por exemplo. Então, eu mesmo, eu defendo a federação, acho importante. Agora que é difícil, que é complicado, que é algo novo, que a gente vai precisar exercitar, vai passar por ela para poder aprender”,afirmou.

Adversários unidos 

Após a escolha do nome que vai suceder Paulo Câmara no governo de Pernambuco, juntamente com o vice, teremos a decisão de quem vai concorrer para a vaga no senado. Até agora, os nomes cotados pela Frente Popular são: os deputados federais André de Paula (PSD), Eduardo da Fonte (Republicanos), Marília Arraes (PT), Sílvio Costa Filho (Republicanos  e Wolney Queiroz (PDT). 

Questionado sobre a possibilidade da escolha de Marília Arraes, que rompeu com o PSB em 2016, para a chapa majoritária, o parlamentar disse que é necessário deixar o passado de lado pela democracia. “A gente vai precisar sim aparar as arestas e se juntar, senão a gente não tira esse presidente daí. Senão a gente não consegue, a esquerda não consegue vencer, e a direita vence de todo jeito. Vão fazer quatro anos que a gente só perde.”

Entrevista completa no podcast Folha Política:
 

Veja também

Argentina vence Colômbia e se torna maior campeã da Copa América
Copa América

Argentina vence Colômbia e se torna maior campeã da Copa América

EDITAIS E BALANÇOS

EDITAIS E BALANÇOS

Newsletter