Gleisi Hoffmann responde declaração de Carlos Siqueira e cita disputa pela PCR

Gleisi e Marília Arraes - Foto: Divulgação

Por meio das redes sociais, a presidente nacional do PT, deputada federal Gleisi Hoffmann respondeu de forma contundente à declaração do presidente nacional do PSB, Carlos Siqueira, que, nesta quinta-feira (13), chamou o PT de "vetor de divisão na esquerda", em declaração veiculada no jornal Estado de São Paulo. 

Gleisi afirmou que para o PSB "a esquerda só pode se unir se apoiar o candidato deles à Prefeitura do Recife", em referência às tentativas do PSB, ao longo desse ano, de viabilizar aliança com o PT em torno da candidatura do deputado federal João Campos (PSB) ao Executivo Municipal. Entretanto, o diretório nacional do PT firmou posição em torno da candidatura própria, encabeçada pela deputada federal Marília Arraes, mesmo com resistência dos diretórios estadual e municipal petistas, aliados do PSB no Governo de Pernambuco e na gestão do atual prefeito Geraldo Julio (PSB). "Foi pensando no Brasil que o PT abriu mão de lança Marília Arraes e apoiou o PSB ao Governo de Pernambuco em 2018", relembrou Gleisi, com o intuito de refutar a declaração de Siqueira. 

O presidente socialista foi direto ao sinalizar que o PSB não estará ao lado do PT em nenhum palanque nas eleições municipais deste ano, um cenário similar ao que ocorreu nas eleições de 2014, quando o ex-governador Eduardo Campos, que veio a falecer, tentava a Presidência da República e se descolou do PT e do governo Dilma Rousseff. "Entre o PT e o Brasil, o PT sempre ficou consigo mesmo, é o vetor da divisão na esquerda. Não estaremos com ele em lugar nenhum nestas eleições", garantiu Siqueira.