Humberto quer investigação de compra de medicamento sem eficácia contra a Covid-19

O gasto de R$ 125 milhões pelo Ministério da Saúde na compra de Tamiflu, medicamento de combate à gripe, mas sem eficácia para a Covid-19, levou o senador Humberto Costa (PT-PE) a pedir ao Ministério Público junto ao Tribunal de Contas da União (MPTCU) e ao Ministério Público Federal (MPF) a abertura de inquérito para apurar irregularidades.Além de ter adquirido um medicamento que não é indicado contra o coronavírus, a pasta comprou o Tamiflu por um valor 33% maior do que em contrato anterior. Ao todo, o ministério adquiriu 28 milhões de cápsulas e pagou R$ 5,33 por cada dose. Antes da pandemia, o medicamento havia sido adquirido por R$ 4.

Para Humberto, que é ex-ministro da Saúde, o governo tem agido de maneira irresponsável e negligente ao comprar e incentivar o uso de medicamentos sem eficácia no tratamento da Covid-19. "O governo está reiteradamente cometendo crimes contra a saúde pública indicando medicamentos que não funcionam e que podem, inclusive, ter efeitos colaterais graves. Isso sem falar no prejuízo que esse tipo de aquisição gera ao erário. Não há remédio para entubar os pacientes que estão agora nos hospitais, mas sobra dinheiro para adquirir medicamento que não funciona", questionou o senador, que é presidente da Comissão de Direitos Humanos do Senado.

Além de pedir apuração dos possíveis atos de improbidade, o senador também solicitou a devolução dos recursos à União. "Os responsáveis por tamanha irresponsabilidade precisam ser punidos. A mando de quem o Ministério da Saúde gastou milhões para comprar e indicar um remédio que não funciona? A quem interessa buscar soluções mágicas para um problema que não pode mais se esconder? Todos os dias, em média, morrem 3 mil brasileiros vítimas da pandemia do coronavírus. O Brasil é responsável hoje por 30% das mortes pela doença em todo o mundo, apesar de ter apenas 2,7% da população mundial. Os responsáveis por esse massacre precisam ser parados e responsabilizados", afirmou.

O senador também defendeu a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid, que tem sido bastante criticada pelo presidente Jair Bolsonaro e seus aliados. "Não é por acaso que o governo Bolsonaro tem tanto medo de uma CPI. Há muito que precisa ser investigado neste governo na gestão da pandemia. O terror do governo é que fique evidente o óbvio descaso e a crueldade com que Bolsonaro trata a Covid-19. O resultado deste desgoverno, a gente vê todos os dias. Enquanto o mundo vacina e vê a pandemia como algo cada vez mais distante, o Brasil vive coberto de dor e luto", afirmou.

Veja também

Kirchner e Lula defendem renovação da política e reconstrução da unidade latino-americana
Política

Kirchner e Lula defendem renovação da política e reconstrução da unidade latino-americana

Fachin proíbe PF de qualquer ato de investigação a partir da delação de Sérgio Cabral

Fachin proíbe PF de qualquer ato de investigação a partir da delação de Sérgio Cabral