Indicação do PSOL para vice de Marília continua causando insatisfação

Após uma reunião de quase três horas, no fim da noite de ontem, o PSOL votou pela indicação do advogado João Arnaldo para a vice da deputada federal Marília Arraes (PT), que oficializa a sua candidatura para a disputa pela Prefeitura do Recife na manhã desta quarta-feira (16). No entanto, o presidente municipal do partido, Deyvison Caetano, ponderou que a indicação foi "feita de paraquedas" pelo presidente estadual do PSOL, Severino Alves, e que não houve debate entre os filiados. Apesar disso, o nome do advogado foi aprovado por 4 votos contra três abstenções. 

"João Arnaldo é um companheiro de luta mas o método para indicá-lo atropela a democracia interna e não pode ser considerado algo normal, sem importância. Não vemos legitimidade nesse processo anti-democratico e mais uma vez o presidente estadual da legenda, cujo nome não unificou nem  o PSOL nem a aliança para ser vice, quer atropelar a democracia interna e apresentar um nome que respeitamos, mas sem ouvir filiados e filiadas do PSOL", disse Deyvison.

O dirigente municipal pontou, ainda, que João Arnaldo "nunca participou de nenhuma atividade do pessoal até hoje (ontem) às 21h50" e que apesar de ele ser um militante que tem uma história, que tem uma trajetória política respeitável, acaba sendo um militante totalmente desconhecido pela nossa base partidária. "Mais uma vez o partido erra na metodologia de condução dos debates internos", finaliza.

Vale lembrar que Severino Alves chegou a ser indicado para a vice de Marília, mas o seu nome não tinha consenso na legenda. Também na noite de ontem, Marília o convidou para coordenador a campanha petista na Capital.