A-A+

Isabella de Roldão participa de seminário internacional sobre ações climáticas

Hélia Scheppa

A vice-prefeita do Recife, Isabella de Roldão, participa nesta quarta-feira (28) do Seminário Internacional de Networking do Urban-LEDS II, a convite do ICLEI – Governos Locais pela Sustentabilidade e da ONU Habitat. O evento discute modelos de ações climáticas e colaboração entre cidades de todo o mundo, com o objetivo de promover desenvolvimento urbano sustentável e uma recuperação verde. O seminário ocorre de maneira online até a quinta (29) e a programação completa pode ser conferida no https://bit.ly/Seminario_ULEDS.

Isabella de Roldão é a única representante da América do Sul no evento. Durante a sua participação, a vice-prefeita irá reforçar os avanços que a capital pernambucana fez no âmbito do projeto Urban-LEDS, que reúne estratégias de desenvolvimento urbano de baixo carbono. Além disso, destacará a importância de enfrentar a emergência climática com a celeridade exigida para cumprir os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) definidos pela ONU na Agenda 2030. Para a vice-prefeita, o evento traz a oportunidade de compartilhar experiências com cidades de outros continentes, além de permitir o fortalecimento das relações internacionais para futuras parcerias.

"Agradeço o convite e a confiança do prefeito João Campos. Juntas e juntos, estamos construindo uma cidade sustentável, inclusiva, plural e resiliente. A adoção de uma lógica de economia verde contribui para a preservação do meio ambiente, a redução das desigualdades sociais e a geração de oportunidades de emprego e renda", observa.

Recife é considerada a 16ª cidade mais vulnerável às mudanças climáticas do mundo, segundo dados do Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC). Diante disso, nos últimos oito anos e meio, o município vem tratando a temática como uma de suas prioridades, através de ações concretas e objetivas. A cidade foi a primeira do Brasil a reconhecer a emergência climática, ainda em 2019, durante a gestão de Geraldo Julio.

Na atual administração do prefeito João Campos, as iniciativas se intensificaram para garantir o cumprimento dos ODS, sempre respeitando a inclusão social e a pluralidade da população recifense. Entre as muitas iniciativas que buscam o desenvolvimento urbano sustentável no Recife, está o lançamento do Plano Local de Ação Climática (PLAC), com estratégias que buscam a redução das emissões de gases do efeito estufa.

O documento foi concebido de forma colaborativa com o ICLEI, órgãos municipais e sociedade civil. A partir da definição de metas, o município almeja alcançar a neutralidade climática até 2050, com a criação de oportunidades socioeconômicas, redução das desigualdades e proteção ao meio ambiente. A gestão municipal também está investindo em projetos que buscam a eficiência energética, como a troca do parque de iluminação da cidade para a tecnologia LED, e implantação de uma usina de geração fotovoltaica no Hospital da Mulher do Recife, na Zona Oeste da cidade. A mobilidade ativa é outra prioridade, com a ampliação da malha cicloviária.

O Recife ainda implementou um espaço de divulgação científica e de educação ambiental no EcoNúcleo da Jaqueira, Zona Norte do Recife. Já com o Eco Recife, lançado em junho, busca-se zerar o consumo de material plástico descartável no serviço público municipal, além de estabelecer ações de eficiência energética e redução do consumo de água. Como reflexo do investimento em projetos de sustentabilidade, o Recife foi escolhido pelo Instituto de Políticas de Transporte e Desenvolvimento (ITDP - Brasil) como a cidade líder na sua iniciativa global para a campanha "Cidades Pedaláveis".

Outros reconhecimentos internacionais incluem a nomeação do prefeito João Campos como membro do Comitê Executivo Global e do Conselho Global do ICLEI e a indicação da vice-prefeita Isabella de Roldão como embaixadora para a América do Sul da Cities Climate Finance Leadership Alliance, coalizão global de entidades dedicadas ao urbanismo sustentável, com foco no financiamento de ações climáticas e de infraestrutura resiliente de baixo carbono.

Recife 500 anos

O planejamento do desenvolvimento urbano do Recife está alinhado com o Plano Recife 500 anos, que reúne estratégias de longo prazo para a cidade, antecipando cenários e desafios que surgirão até 2037, ano em que a cidade se tornará a primeira capital do Brasil a completar 500 anos. As ações contidas apontam para a necessidade de Reunir, Reviver e Reinventar o Recife, com valorização do potencial urbano ambiental do município, a valorização do capital humano e tecnológico da cidade, entre outras iniciativas multidisciplinares.

Veja também

Marcelo Chamusca não devia nem ter vindo para o Náutico
Blog Que Golaço

Marcelo Chamusca não devia nem ter vindo para o Náutico

Bolsonaro cumprimentou apoiadores em NY mesmo após saber de infecção de Queiroga
EUA

Bolsonaro cumprimentou apoiadores em NY mesmo após saber de infecção de Queiroga