Lucas Ramos assume Secti, fala em integração e ressalta importância da ciência

Posse de Lucas Ramos na Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação - Reprodução

O governador de Pernambuco, Paulo Câmara (PSB), participou da cerimônia de posse do novo Secretário de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti), Lucas Ramos. Ramos, que ocupava o cargo eletivo de deputado estadual na Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe), substitui Aluísio Lessa, que retorna à Alepe.

Na Alepe, Ramos presidia a Comissão de Finanças, Orçamento e Tributação; com a nomeação, foi publicada no Diário Oficial do Estado no último sábado (1º), Lucas Ramos se afasta das atividades no legislativo. 

Lucas Ramos, 32, é formado em Administração de Empresas pela Faculdade Integrada do Recife e pós-graduado em Comunicação pela ESPM de São Paulo. Na área profissional, fez carreira na publicidade e propaganda.

Na cerimônia de posse, transmitida do Palácio do Campo das Princesas por meio das redes sociais, o ex-secretário Aluísio Lessa fez um balanço das ações realizadas ao longo da gestão da pasta e afirmou que “foi um ano e sete meses de experiências positivas”. Entre os feitos destacados estão a regulamentação do Marco Legal para Ciência, Tecnologia e Inovação, assinado pelo governador Paulo Câmara, na última sexta-feira (31) e a reativação da unidade de radiologia do Hospital Universitário Oswaldo Cruz (HUOC), no Recife.

Em seu discurso, o secretário empossado reforçou a necessidade de uma integração entre o governo e as parcerias dos setores público e privado em tempos de “novo normal” e destacou o trabalho dos secretários anteriores. “Olhar para frente significa debater o agora, as novas relações de trabalho, a conectividade digital, o novo consumidor de produtos, serviços e, sobretudo de informações”, disse Lucas Ramos em seu discurso.  “O estado vem desenvolvendo uma política científica bem definida, com total conexão com o mercado”, destacou. 

Ramos também destacou as dificuldades que as startups têm para se estabelecer no mercado e prometeu buscar soluções para atender o setor. O secretário falou sobre a importância das universidades públicas e afirmou que, em seu trabalho, buscará integrar instituições públicas e privadas na “formação de uma grande rede”.


Lucas Ramos e o governador Paulo Câmara

 “Através da ciência tecnologia podemos encontrar alternativas. Para tanto, é imprescindível o apoio da academia. Precisamos valorizar o servidor público que se dedica à pesquisa científica, assim como aquele que, dentro ou fora da sala de aula estimula mentes na busca por soluções. O mercado também precisa fazer parte desse processo. Temos clientes à espera de produtos e serviços inovadores, criativos e acessíveis. Essas pessoas esperam que o governo exerça seu papel de mediador”, afirmou Ramos. 

No discurso de posse, o novo secretário mencionou instituições como a Fundação de Amparo a Ciência e Tecnologia do Estado de Pernambuco (Facepe), Porto Digital, Empresa Pernambucana de Comunicação, Universidade de Pernambuco (UPE), Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE), Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf), o Sistema S, entre outras.

O governador Paulo Câmara destacou, na cerimônia, a importância da ciência no desenvolvimento das cidades e das zonas rurais do estado e as dificuldades impostas pela crise sanitária causada pela pandemia da Covid-19. “A pandemia nos mostra a importância do pensar, da ciência, de um planejamento de médio e longo prazo”, disse Paulo Câmara. 

“A gestão do secretário Aluísio buscou, nos marcos regulatórios, alternativas para avançarmos na ciência e enfrentarmos questões tão duras. Aluísio teve a oportunidade, como secretário de enfrentar questões muito caras a pernambuco e que a ciência vai ajudar que não ocorram mais, como o desastre do vazamento de óleo. Naquele momento, atentamos para a necessidade de se lançar editais de pesquisa, como também fizemos agora com a Covid-19”, afirmou. 

“É importante mobilizar todas as nossas estruturas, buscando envolver os atores públicos e privados da sociedade civil, para que seja construído um ambiente de ajuda mútua, de pesquisa e olhar para o futuro; um ambiente que revele talentos e dê condições para que os estudantes que saiam das nossas universidades e escolas técnicas possam empreender, inovar e usar as ferramentas de um mundo cada vez mais conectado”, completou o governador lembrando medidas tomadas na área ao longo dos dois mandatos de Câmara e dos governos anteriores. 

Sobre a pandemia, Paulo Câmara também afirmou que novas ações estão sendo idealizadas e reforçou a necessidade de integração entre as instituições. “A função do estado é avançar e buscar alternativas diante dessas situações. Temos certeza de que o planejamento feito pelo governo do estado ensejou o maior investimento de infraestrutura, de pessoal e logística no âmbito da saúde pública. Nos preparamos para chegar nesse momento com as instalações sanitárias prontas em várias regiões do estado”.