Lucas Ramos:"Pernambuco mostrando ao Brasil como priorizar Ciência, Tecnologia e Inovação"

A Fundação de Amparo à Ciência e Tecnologia no Estado de Pernambuco (FACEPE) bateu mais um recorde histórico de investimentos. Em 2021, já foram lançados 30 editais, que somam R$ 78 milhões em aportes públicos. O secretário de Ciência, Tecnologia e Inovação, Lucas Ramos, destaca que a FACEPE tem sido decisiva no processo de retomada econômica do Estado. "Estamos mostrando ao Brasil que priorizar políticas públicas de CTI é garantir efetividade no combate às desigualdades e promover desenvolvimento social, econômico e sustentável".

O volume de investimentos em 2021 é 30% maior que o executado no ano passado, quando a FACEPE já havia registrado um recorde histórico de aportes de R$ 60 milhões. A FACEPE é, hoje, a grande executora dos programas da Secti, como Forma.AI, Lócus da Inovação e PróStartups, mostrando o poder de entrega de resultados de uma maior sinergia entre instituição vinculada e Secretaria, um das marcas da atual gestão.

Já em bolsas acadêmicas, são atendidos, hoje, 3.800 pesquisadores e estudantes de pós-graduação, o que gera uma folha mensal de R$ 4,5 milhões. "E apoiada pela Secti, a Facepe ampliou ainda seus esforços em interiorização da pesquisa científica e desenvolvimento de novas tecnologias, apoio direto a jovens cientistas e iniciativas pioneiras em Inovação Social", reforçou Lucas Ramos.

Dos R$ 78 milhões investidos em 2021, R$ 71 milhões foram oriundos do Governo do Estado e os R$ 7 milhões restantes vieram de parcerias firmadas com diversos órgãos parceiros da Fundação. Com o investimento, foram contemplados projetos de pesquisa e desenvolvimentos, que abordam temas de estudos sociais à tecnologia de ponta, com recursos que foram liberados sob a forma de subvenção econômica às empresas à infraestrutura laboratorial.
 

Veja também

Parado na Lei Seca, Adriano Imperador se recusa a fazer teste do bafômetroRio de Janeiro

Parado na Lei Seca, Adriano Imperador se recusa a fazer teste do bafômetro

Ômicron: Espera por leito no Rio pode ultrapassar dois diasCOVID-19

Ômicron: Espera por leito no Rio pode ultrapassar dois dias