Mendonça propõe projeto para ofertar internet grátis com provedores de bairros para alunos do Recife

Guga Matos

O candidato a prefeito do Recife, Mendonça Filho (DEM), anunciou nesta quarta-feira (30), o Aluno Conectado - NetBairro, uma proposta inovadora de inclusão digital na educação e na saúde, e de estímulo à economia de bairro. O programa vai ofertar internet em casa para mais de 60 mil estudantes da rede municipal que cursam o Ensino Fundamental I e II, num amplo programa para garantir acesso a conteúdos e conhecimento para os estudantes e a toda a família. “O acesso à internet é fundamental para a educação, para o acesso à saúde, gera emprego e renda nas comunidades. Os provedores de bairros movimentam a economia local. Essa é uma cadeia que vamos estimular”, afirmou Mendonça. 

O projeto, apresentado hoje durante a agenda de Mendonça, acompanhado da sua vice, Priscila Krause, na comunidade do Bode (Pina), Zona Sul do Recife, também vai ampliar o acesso digital nas escolas municipais e postos de saúde. O objetivo é oferecer a cada estudante um pacote de 10 Mb, por fibra ótica, priorizando os provedores de bairros. Segundo ao candidato, a proposta deve custar aos cofres públicos cerca de R$ 25 milhões anuais, recursos que serão remanejados da verba de propaganda.

Evani Correia dos Santos, moradora da comunidade do Bode e mãe de quatro filhos com idade escolar entre 3, 8, 12 e 15 anos, disse que a ideia vai ajudar bastante na educação dos jovens. “Meus filhos usam a internet, mas eu não tenho em casa e divido com a minha irmã. O projeto é muito interessante por que todos precisam da internet, ainda mais os estudantes. Com a pandemia, ficou ainda mais difícil acompanhar as aulas e meus filhos tiveram um aprendizado deficiente”, afirmou. 

Além do fortalecimento da educação, o projeto vai estimular a economia local gerada pelas microempresas de provedores de internet. “Quem conhece o Recife sabe que esse segmento gera emprego e renda e precisa de apoio. Vamos apoiar a formalização e legalização de provedores de bairro que tenham dificuldades para trabalhar”, disse Mendonça Filho. Segundo dados da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), os pequenos provedores de internet foram responsáveis, somente em 2017, por 43,72% das novas conexões de internet. A agência apontou que no Brasil, no mesmo período, ocorreram 28,67 milhões de acessos de banda larga fixa, sendo 4,21 milhões viabilizados por provedores regionais.

“Este projeto de Mendonça Filho vai trazer mais interatividade às pessoas que não têm acesso à internet e que precisam dos vizinhos para alguma atividade. A internet está aí pra facilitar a vida das comunidades, estimulando a economia, pois geramos emprego e renda nesses locais. Para os jovens, é essencial por que os afasta da criminalidade”, disse Gleibson Cosmo, dono de um provedor que presta serviço na comunidade do Bode e em Casa Amarela. 

Tiago Lima, outro proprietário de provedor de internet de bairro, destacou que o projeto também vai auxiliar na melhoria da saúde das pessoas. “Hoje em dia, precisamos da internet para agendar consultas e exames, por exemplo, nos postos de saúde. Nunca tivemos um prefeito que pensasse em um projeto desse tipo, oferecendo crescimento aos provedores e abrangendo melhorias no acesso à saúde. Além disso, é uma forma de substituir as grandes operadoras pelos provedores do bairro, reduzindo custos, oferecendo mão de obra local e atendendo todas as unidades de saúde com um valor mais baixo”, completou.