“Nem Lula, nem Bolsonaro são candidatos a governador”, diz Miguel

Partido ainda não deixou claro quem vai apoiar nas eleições presidenciais

Divulgação

Ao ser questionado sobre o cenário nacional, Miguel Coelho afirmou que o seu foco são as eleições estaduais, e que os candidatos a presidente da República Lula ( PT) e o atual presidente, Jair Bolsonaro (PL), não o preocupam pois não concorrem a disputa estadual. 

“O que precisa ficar claro é que nem Lula nem Bolsonaro são candidatos a governadores, eles são candidatos a presidente e esse é outro nível de debate. O pernambucano precisa fazer o debate de qual é o governador que ele quer, ele quer um poste para se escorar nos outros ou ele quer um governador que tenha pulso, que tenha liderança, que tenha articulação, que tenha coragem para poder enfrentar as diversidades e resolver os problemas que afligem os homens e mulheres pernambucanos?”, disse. 

Mencionando ainda os candidatos à presidência de 2022, o prefeito de Petrolina deixou claro que quem quer que seja eleito não vai afetar a independência do Estado. “Nós temos que entender o tamanho do governador de Pernambuco que é legitimado pelo voto popular. E seja quem for o presidente que o Brasil escolher, o governador de Pernambuco terá força, terá capacidade, para poder governar e buscar os recursos seja com quem ele for, até porque uma coisa é a campanha, outra coisa é a administração pós eleição onde o palanque está desarmado e você precisa focar no trabalho, fazer as parcerias necessárias para poder promover uma melhor qualidade de vida em todas as regiões do Estado. Então, eu não me preocupo com isso, até porque eu estou otimista e  preparado para debater e discutir Pernambuco. E isso é o que a gente vai concentrar os nossos esforços e com certeza a população estará atenta a isso,“ afirmou. 

Possível apoio à Moro 

Visto como o principal candidato da terceira via para a Presidência da República, o ex-ministro do governo Bolsonaro, Sérgio Moro, que atualmente está no Podemos, pode entrar a qualquer momento no futuro partido União Brasil que une o DEM e o PL. Também foi trabalhada a possibilidade do próprio presidente do PL, Luciano Bivar, como vice de Sérgio Moro. Segundo Miguel Coelho, nada foi decidido ainda. 

“Acho que primeiro tem muita fofoca, muita especulação, porque o União Brasil ainda não se posicionou sobre qual caminho irá trilhar no debate nacional. Isso é uma coisa que a gente tem que ter serenidade e aguardar essa decisão do presidente Luciano Bivar, o próprio ACM Neto que é uma referência nacional e também é candidato a governador. O União Brasil hoje tem dez candidatos a governadores, para vocês terem ideia, em todas as regiões do país. Então, isso com certeza será algo debatido, deliberado com todas as partes envolvidas e o que a gente vai querer enquanto União Brasil é defender as nossas bandeiras de um Estado mais enxuto, de um estado que tenha um programa social que inclua as pessoas que estejam passando necessidade,” contou. 

Escute a entrevista completa no podcast Folha Política: Ao ser questionado sobre o cenário nacional, Miguel Coelho afirmou que o seu foco são as eleições estaduais, e que os candidatos a presidente da República Lula ( PT) e o atual presidente, Jair Bolsonaro (PL), não o preocupam pois não concorrem a disputa estadual. "O que precisa ficar claro é que nem Lula nem Bolsonaro são candidatos a governadores, eles são candidatos a presidente e esse é outro nível de debate. O pernambucano precisa fazer o debate de qual é o governador que ele quer, ele quer um poste para se escorar nos outros ou ele quer um governador que tenha pulso, que tenha liderança, que tenha articulação, que tenha coragem para poder enfrentar as diversidades e resolver os problemas que afligem os homens e mulheres pernambucanos?", disse. Mencionando ainda os candidatos à presidência de 2022, o prefeito de Petrolina deixou claro que quem quer que seja eleito não vai afetar a independência do Estado. "Nós temos que entender o tamanho do governador de Pernambuco que é legitimado pelo voto popular. E seja quem for o presidente que o Brasil escolher, o governador de Pernambuco terá força, terá capacidade, para poder governar e buscar os recursos seja com quem ele for, até porque uma coisa é a campanha, outra coisa é a administração pós eleição onde o palanque está desarmado e você precisa focar no trabalho, fazer as parcerias necessárias para poder promover uma melhor qualidade de vida em todas as regiões do Estado. Então, eu não me preocupo com isso, até porque eu estou otimista e preparado para debater e discutir Pernambuco. E isso é o que a gente vai concentrar os nossos esforços e com certeza a população estará atenta a isso," afirmou. Possível apoio à Moro Visto como o principal candidato da terceira via para a Presidência da República, o ex-ministro do governo Bolsonaro, Sérgio Moro, que atualmente está no Podemos, pode entrar a qualquer momento no futuro partido União Brasil que une o DEM e o PL. Também foi trabalhada a possibilidade do próprio presidente do PL, Luciano Bivar, como vice de Sérgio Moro. Segundo Miguel Coelho, nada foi decidido ainda. "Acho que primeiro tem muita fofoca, muita especulação, porque o União Brasil ainda não se posicionou sobre qual caminho irá trilhar no debate nacional. Isso é uma coisa que a gente tem que ter serenidade e aguardar essa decisão do presidente Luciano Bivar, o próprio ACM Neto que é uma referência nacional e também é candidato a governador. O União Brasil hoje tem dez candidatos a governadores, para vocês terem ideia, em todas as regiões do país. Então, isso com certeza será algo debatido, deliberado com todas as partes envolvidas e o que a gente vai querer enquanto União Brasil é defender as nossas bandeiras de um Estado mais enxuto, de um estado que tenha um programa social que inclua as pessoas que estejam passando necessidade," contou.

Veja também

Ave Sangria celebra Paulo Rafael em show no Teatro do Parque
Música

Ave Sangria celebra Paulo Rafael em show no Teatro do Parque

Brasil registra 16.194 novos casos de Covid-19 e 35 mortes em 24 horas
Pandemia

Brasil registra 16.194 novos casos de Covid-19 e 35 mortes em 24 horas