A-A+

No Recife, manifestantes vão às ruas em defesa do voto impresso

Arthur de Souza/Folha de Pernambuco

Neste domingo (1), manifestantes defensores do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) saíram às ruas do País em defesa do voto impresso. No Recife, o ato teve concentração em frente à padaria Boa Viagem, Zona Sul da cidade. A concentração começou às 14h e o percurso se estendeu até o Segundo Jardim de Boa Viagem. 

Os grupos conservadores apoiam a PEC 135/2019, de autoria da deputada Bia Kicis, que prevê a impressão automática do voto para conferência exclusiva do eleitor. O projeto tem o intuito de preservar o sigilo, por isso o papel impresso ficaria armazenado em uma urna física acoplada à urna eletrônica. 

O protesto

Durante as manifestações o hino nacional chegou a ser cantado várias vezes. O verde e amarelo também inundou a Avenida Beira-Mar, fazendo-se, assim como em todos os atos pró-Bolsonaro, a cor oficial da agenda. Os apoiadores carregaram bandeiras, faixas e empunharam palavras em sinal de apoio ao presidente. Em alguns momentos a eleição de 2022 foi citada, nessas ocasiões o ex-presidenciável Ciro Gomes (PDT) e o ex-presidente Lula (PT) foram citados e ridicularizados. A manifestação reuniu centenas de pessoas, que não mantiveram distanciamento umas das outras e em sua maioria não usaram máscara. 

O motivo do protesto de hoje é o 'voto impresso e auditável' e um dos principais gritos dos manifestantes no Recife foi: “O Nordeste Verde e Amarelo”. A manifestação contou com a presença dos Agentes de Conciliação do Estado, mas o ato transcorreu sem intercorrências. 

Participaram do ato, os políticos: a deputada estadual Clarissa Tercio (PSC), o deputado estadual Alberto Feitosa (PSC), o ministro do Turismo Gilson Machado e o presidente do PTB, Coronel Meira. "É com muito orgulho e gratidão que estamos aqui para fortalecer a nossa luta pela democracia de nosso País. O voto é democrático e por isso deve ser transparente, limpo e seguro. Temos todo direito de fazer a conferência em caso de suspeita de fraude!", disse Gilson Machado Neto.

Já é auditável

Apesar do pedido dos manifestantes para que a urna eletrônica seja auditável, o sistema eleitoral brasileiro é considerado por especialistas no mundo inteiro como um dos mais seguros. As urnas eletrônicas permitem a recontagem dos votos e são auditáveis. Ao final da votação, é emitido um Boletim de Urna (BU), essa é uma das formas de se fiscalizar o processo, segundo o Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Veja também

Marcelo Chamusca não devia nem ter vindo para o Náutico
Blog Que Golaço

Marcelo Chamusca não devia nem ter vindo para o Náutico

Bolsonaro cumprimentou apoiadores em NY mesmo após saber de infecção de Queiroga
EUA

Bolsonaro cumprimentou apoiadores em NY mesmo após saber de infecção de Queiroga