"Nosso programa não é fruto de vontade pessoal", diz João Campos

Reprodução/Facebook

Em entrevista ao programa Band News, na noite desta quinta-feira (24), o candidato à Prefeitura do Recife, João Campos (PSB), garantiu que sua candidatura não é um projeto pessoal, mas de um conjunto que tem uma das maiores frentes entre as capitais brasileiras. “Nosso programa é algo que está muito consolidado e que não é fruto de uma vontade pessoal, isso é um conjunto que você compreende o que a cidade precisa”, sublinhou.

A entrevista foi realizada entre o candidato recifense e o postulante à Prefeitura de São Paulo, Márcio França (PSB), que chegou a cumprir agenda recentemente ao lado do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e defende diálogo com o chefe do Executivo. 

O combate às desigualdades foi um tema defendido pelo postulante na entrevista. Durante o programa, que durou cerca de 40 minutos,  João falou sobre sua principal meta enquanto prefeito: criar oportunidades para quem mais precisa, sobretudo após o período de pandemia que afetou de forma muito dura a maior parte da população. 

“Vamos fazer o enfrentamento da desigualdade, que é o grande problema brasileiro, seja da renda, da educação, da conectividade. O combate às desigualdades deve ser o nosso foco para poder verdadeiramente trabalhar e poder entregar uma cidade mais justa e inclusiva, que é o que a gente espera aqui no Recife. Estou muito animado e acho que a nossa geração pode dar uma contribuição efetiva nesse momento”, pontuou João Campos, ao ser questionado sobre o desafio de governar uma cidade como o Recife. 

João Campos frisou ainda que o Recife é a cidade onde construiu sua história de vida e que, ao decidir disputar a eleição na capital, ele pode contribuir de maneira mais efetiva com o Recife como chefe do Executivo, podendo fazer ações que impactam diretamente a vida de quem mais precisa. “O que me move é esse desafio de poder ajudar a cidade onde eu nasci, cresci e estudei”, declarou, completando que o município ainda possui grandes desafios históricos que precisam ser enfrentados. 

João Campos citou a importância de promover mais políticas de acessibilidade, lembrando que 70% do Recife é constituído por morros. Para ele, é importante promover ações que gerem mais segurança aos moradores dessas comunidades, começando por pequenas intervenções, associando-as a iniciativas estruturadoras. Além disso, a consolidação dos índices de educação de qualidade e ações que impactam na segurança pública, como o estímulo à cultura de paz, também foram citados pelo deputado. 

Durante a entrevista, o prefeiturável destacou que essa eleição será marcada por uma discussão para o enfrentamento do momento de incertezas que vem dominando o Brasil e que, por isso, é preciso apresentar um caminho para a população. “Estamos aqui pois as conquistas que podemos entregar são relevantes, mas temos que ter também a compreensão de que a preocupação com a saúde, com a renda e com o emprego é muito grande e temos que estar dispostos, mais do que falar, a ouvir as pessoas e ver o que é que poderemos fazer por elas”, disse.