OAB e políticos se manifestam sobre ação da PM de Pernambuco em ato contra Bolsonaro

Polícia Militar usa bombas de gás lacrimogênio e balas de borracha para dispersar ato contra Bolsonaro - Foto: Alexandre Aroeira/Folha de Pernambuco

"A Ordem dos Advogados do Brasil em Pernambuco (OAB-PE) se pronunciou sobre a ação da Polícia Militar de Pernambuco, que dispersou de forma violenta os manifestantes, em ato realizado, neste sábado, contra o governo Bolsonaro. A entidade pediu "apuração rigorosa" do Governo do Estado e punição aos responsáveis pela "atuação da Polícia Militar".  "Imagens reportam uma repressão absolutamente desproporcional por parte da PMPE, com uso de balas de borracha, gás lacrimogêneo e spray de pimenta, contra grupos que realizavam o ato na área central da cidade".

"A OAB Pernambuco, por meio da Comissão de Direitos Humanos e da Comissão de Defesa e Assistência às Prerrogativas Profissionais, irá levar o caso aos órgãos competentes e estará à disposição para prestar assistência no caso", completa a nota. 

O ocorrido também foi alvo de críticas de políticos. Por meio das redes sociais, o senador Humberto Costa (PT) emitiu uma nota de repúdio sobre a ação da PM. Presidente da Comissão de Direitos Humanos do Senado, ele afirma que "pediu a apuração rigorosa das agressões feitas por integrantes da Polícia Militar contra manifestantes durante a dispersão do ato contra o presidente Jair Bolsonaro, no Recife". 

Também por meio de rede social, a deputada federal Marília Arraes (PT) também questionou a ação da polícia. "Desde o início da pandemia houve diversos atos e protestos bolsonaristas , nenhum foi recebido com essa truculência. Será que foi por acaso?", ressaltou a petista. 

O deputado estadual João Paulo (PCdoB) também usou as redes para se manifestar. "Um ato lindo e pacífico. As pessoas em fila, mantendo o distanciamento. Cheias de esperança de Brasil melhor. No fim, a polícia recebeu os manifestantes com bala de borracha e gás lacrimogênio. Ninguém conseguia entender a razão daquela violência. Desproporcional e desumana", disse. 

A deputada  estadual Teresa Leitão (PT) criticou a reação da PM a um "ato pacífico que caminhou em fila indiana pelo trajeto tradicional da nossa luta". "Bombas de efeito moral, metralhadoras em punho, gás de pimenta foram alguns dos equipamentos exibidos e usados. Vários manifestantes e a vereadora do PT, Liana Cirne, saíram feridos do ato. Na condição de deputada estadual, líder do PT na Assembleia Legislativa, cobro as devidas explicações ao governador Paulo Câmara", disse Teresa, ressaltando que o governador e sua base aliada são "forte voz de denúncia e de reivindicação" contra o governo Bolsonaro. 

PSOL 

"Repúdio à violência policial do governo do PSB em Pernambuco

O Partido Socialismo e Liberdade repudia a violência sofrida pelos manifestantes que estavam no ato contra o governo Bolsonaro. O ato estava sendo conduzido de forma pacífica e com distanciamento social, com todos os manifestantes com máscaras. A manifestação pedia comida no prato e vacina no braço e foi recebida com balas de borracha e bombas de efeito moral. Exigimos do Governo do Estado uma apuração e punição efetiva da truculência da PM no dia de hoje.

Direção Estadual do PSOL PE"

Eriberto Medeiros - presidente da Alepe
Foram absolutamente lamentáveis os fatos ocorridos na manifestação deste sábado, no Centro do Recife. No Estado Democrático de Direito, não há espaço para violência ou repressão à liberdade de expressão. Defendemos a apuração e punição exemplar dos responsáveis pelas agressões. Em momentos de crise como o que vivenciamos, é fundamental prevalecer a solidariedade, a união e o diálogo para construção do entendimento.

Deputado Eriberto Medeiros
Presidente da Assembleia Legislativa de Pernambuco

Veja também

Louzer elogia Betinho e lamenta “distância” entre setores em derrota
Futebol

Louzer elogia Betinho e lamenta “distância” entre setores em derrota

Atlético-MG perde para o Ceará em noite de falhas de Everson
Futebol

Atlético-MG perde para o Ceará em noite de falhas de Everson