Patrícia entra com ação contra material da prefeitura

Tiago Calazans

A coligação Mudança Já, formada por Podemos e Cidadania, da Delegada Patrícia (Podemos), entrou com uma ação investigatória eleitoral contra propaganda ilegal em material oficial da Prefeitura do Recife, nesta quarta-feira (30). De acordo com a denúncia do grupo, em uma apostila para estudos do 6° ano do Ensino Fundamental, aparece um desenho remetendo ao candidato João Campos (PSB), apoiado pela atual gestão, em uma propaganda “realizada em menos de três meses do pleito eleitoral” do município.

Por isso, os advogados  da coligação pediram que se emita medida cautelar, de efeito imediato, contra a candidatura governista. Que os investigados, o candidatos a prefeito João Campos, e a vice-prefeita da chapa, Isabella de Roldão (PDT), sejam tornados inelegíveis para esta eleição e para os próximos oito anos. O corpo jurídico também quer que os atuais Prefeito, Geraldo Júlio (PSB), e Secretário de Educação do Recife sejam condenados a pagar multa, que pode chegar a R$ 100 mil.

Segundo nota divulgada pela assessoria de imprensa da delegada,  na charge, “as cores, o símbolo e o nome aludem diretamente à candidatura governista”. O corpo jurídico que representa a delegada, candidata a prefeita do Recife, argumenta que a publicação do material, destinado a estudantes de escolas municipais e pago com dinheiro público, se trata de abuso do poder político.

Charge apostila

“Estamos diante de um pedido explícito de votos para o candidato João, coincidindo até mesmo as cores do partido político do candidato, vermelha e amarela, constante de material pedagógico fornecido a milhares de alunos da rede municipal de ensino”, diz um trecho da ação. 

Procurada, a Prefeitura do Recife não se posicionou até o fechamento deste edição. A coordenação da campanha de João Campos também não se pronunciou sobre a ação.