Paulista: Prefeitura se posiciona sobre conflito com documentos oficiais

Prefeitura do Paulista - Divulgação

Faltando poucas horas da posse que marca o retorno de Júnior Matuto (PSB) à Prefeitura do Paulista, na Região Metropolitana do Recife, a atual gestão da prefeitura, comandada pelo prefeito Jorge Carreiro (PV-PE), esclareceu que os documentos que estavam de posse de alguns secretários na última sexta-feira (7) são de domínio público. Júnior Matuto será reempossado nesta segunda-feira (10) após o ministro Dias Toffoli, do Supremo Tribunal Federal (STF), deferir medida cautelar determinando o retorno imediato ao comando da prefeitura

Segundo a gestão de Jorge Carneiro, em nota enviada à reportagem na noite desse sábado (8), os documentos que estavam com os secretários eram apenas cópias e de domínio público, onde qualquer cidadão pode ter acesso através do Portal da Transparência. 

Em vídeo enviado à reportagem, a atual secretária de Saúde, Teresinha Mousinho Guedes, aparece sendo abordada por servidores da Guarda Municipal e agentes da Polícia Militar de Pernambuco. Na mala do veículo, várias pastas de documentos, alguns timbrados. Ela tenta argumentar e é advertida de que não é permitido levar documentos oficiais.

A nota da assessoria de comunicação do prefeito Jorge Carneiro cita que pessoas ligadas à Júnior Matuto invadiram o centro administrativo da Prefeitura do município. “A assessoria de comunicação do Prefeito Jorge Carreiro (PV-PE) responde à Folha de Pernambuco que a secretária de Saúde, Draª Terezinha Mousinho, foi coagida a abrir a mala do seu carro em uma confusão provocada por pessoas ligadas ao prefeito afastado, Júnior Matuto (PSB-PE), que invadiram o centro administrativo da Prefeitura do Paulista e, de maneira arbitrária, intimidaram os secretários presentes, invadindo o local. Ressaltamos que no porta malas do carro da secretária de saúde e do secretário de desenvolvimento econômico, cultura e esportes, Cláudio Nunes, constavam, apenas, pertences pessoais, papeis de uso pessoal, não havendo assim documentos internos algum, conforme consta nos Boletins de Ocorrência”. 

A assessoria de Jorge Carneiro destaca também que a decisão do ministro Dias Toffoli ainda não foi publicada pelo Tribunal de Justiça de Pernambuco. “Faz-se oportuno, lembrar, que a decisão judicial assinada, em Brasília, pelo magistrado Dias Toffoli reconduzindo o prefeito investigado Júnior Matuto ao cargo, ainda não foi cumprida pelo Tribunal de Justiça de Pernambuco, ou seja, tanto o prefeito quanto todo o corpo de secretários ainda fazem parte da gestão do município”, disse em nota.