Presidente Jair Bolsonaro visita o Sertão do Pajeú

Em sua segunda visita como presidente a Pernambuco, Jair Bolsonaro (sem partido) desembarca em São José do Egito, no Sertão do Pajeú do Estado, hoje. A agenda presidencial, divulgada pelo Palácio do Planalto, informa que ele participará da inauguração da segunda etapa do Sistema Adutor do Pajeú. Até o fechamento desta edição, o governador de Pernambuco, Paulo Câmara (PSB), opositor ao presidente, não recebeu o convite para participar da agenda. A cerimônia está prevista para começar às 10h30. 

Por outro lado, o líder do Governo no Senado, Fernando Bezerra Coelho (MDB), o deputado federal Fernando Filho (DEM) e o deputado estadual Antonio Coelho (DEM) participam do ato, de acordo com a assessoria de imprensa. 

Procurado pela reportagem, o prefeito de São José do Egito, Evandro Valadares, do PSB, mesmo partido de Paulo Câmara, disse que foi convidado e participará do evento para cumprir as exigências que o seu cargo impõe. “Vou unicamente receber o presidente e voltar para casa. Vou receber como dever meu. Acho que é obrigação”, explicou o gestor municipal. Evandro, aliás, disse que foi comunicado apenas que “ninguém do Palácio (do Campo das Princesas)” participaria da inauguração. 

A primeira visita de Bolsonaro ao Estado foi em maio de 2019. Na ocasião, o presidente participou de uma reunião com governadores do Nordeste, no Recife. Ele também foi a Petrolina, no Sertão, base eleitoral dos Coelho, para inaugurar uma obra habitacional. 

O presidente vem fazendo acenos ao Nordeste, região onde o presidente sofreu derrota eleitoral em 2018. Inclusive, o nome do juiz federal Kássio Nunes Marques, favorito de Bolsonaro ao Supremo Tribunal Federal (STF), tem os apoios de caciques de partidos do chamado centrão e representa um gesto à Região. Hoje, o Supremo não tem nenhum ministro nordestino.

Sistema Adutor 

De acordo com a Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa), serão beneficiados ao todo 290 mil moradores das cidades de Floresta, Carnaubeira da Penha, Serra Talhada, Calumbi, Flores, Carnaíba, Quixaba, Afogados da Ingazeira, Iguaracy, Ingazeira, Tuparetama, Tabira, São José do Egito, Itapetim e Santa Terezinha.

A obra da segunda etapa, executada pelo Departamento Nacional de Obras Contra as Secas (Dnocs), com investimento da ordem de R$ 250 milhões, é composta de 57 quilômetros de adutoras e duas estações de bombeamento de água e começou em março deste ano.

É esperado que a oferta de água aumente em 78% para a região. Isso porque a vazão do sistema passará de 290 para 480 litros por segundo. A captação é realizada no Eixo Leste da Transposição do Rio São Francisco.