Presidente nacional do PSB afirma que a federação só vai acontecer com autonomia partidária

Para Carlos Siqueira, a parceria tem que ser apenas em nível nacional

Divulgação

Segundo o presidente nacional do PSB, Carlos Siqueira, a federação entre o PT, PCdoB, PSB, Psol e PV é possível se a autonomia dos partidos for respeitada. “Nós temos que tratar com o PT, com toda franqueza, que nós não aceitaremos jamais, nem nós e nem eu acredito que os outros partidos como o PV e PCdoB, mas eles falam por eles e eu falo pelo meu partido, que não aceitaremos jamais ser mandado por partido nenhum. Nós temos que preservar a nossa autonomia, nossas decisões, as nossas candidaturas em cidades importantes.Nós não estamos dispostos a abrir mão disso. Mas se tiver uma compreensão não só do PT, mas de todos os demais, é possível estabelecer regras aceitáveis e democráticas que mantenham a autonomia desses partidos, aí ela acontecerá (a federação).Do contrário, não acontecerá, mas nós vamos nos esforçar para que ela aconteça. Não é seguro que ela venha acontecer se essas regras que forem estabelecidas não sejam aceitáveis”, afirmou o socialista durante entrevista para a CNN. 

Federação por necessidade 

A federação não é vista com bons olhos por alguns membros da esquerda, mas para Carlos Siqueira ela é essencial para o Brasil de hoje. “O momento que nós estamos a viver é um momento  difícil, um momento que nós precisamos superar, um momento de ameaça à democracia em que essas forças progressistas, e eu defendo que não seja apenas elas, que elas agreguem forças que vão ao centro político. O que está em jogo não é  esquerda e direita, o que está em jogo é democracia ou autoritarismo, e nós precisamos ter a grandeza de nesse momento, fazer um esforço e unidade dessas forças, indo para além delas, ir para um centro político, buscar um programa comum que tire o Brasil da situação de ameaça a democracia”, avaliou.

Jogo político 

Ainda durante a entrevista, o dirigente enfatizou que o PT precisa ter foco. “Eu acho que nesse momento o PT precisa estabelecer, eu já disse isso duas vezes ao próprio Lula(PT) e várias vezes à presidente do PT Gleisi (Hoffmann), precisa estabelecer qual é a sua prioridade. É ganhar a eleição presidencial ou é disputar os estados com o seu principal aliado à esquerda? Eu acho que deveria ser a eleição presidencial, e eu acho que o PSB ajuda a ampliar.Tanto ajuda que está se dispondo, e já convidou o ex-governador Geraldo Alckmin também também para se filiar ao partido,” declarou. 

O ex-tucano Geraldo Alckmin, que está estudando a possibilidade de ser candidato a vice-presidente de Lula (PT) nas eleições de 2022, já foi convidado oficialmente pelo PSB para ser membro do partido. No dia 13 de dezembro de 2011, ele e Carlos Siqueira se encontraram em São Paulo para estabelecer o acordo que ainda não foi assinado, mas que segundo o presidente da legenda, tem tudo para acontecer. “Ele sabe que aqui no PSB ele só tem amigos e que ele é muito bem-vindo, que ele pode cumprir esse papel que o presidente Lula deseja, que nós todos desejamos, para fortalecer as forças democráticas e progressistas no sentido de vencer as eleições”, concluiu.  
 

Veja também

Deputado Éder Mauro lidera disputa pela prefeitura de Belém, diz Paraná Pesquisas
eleições

Deputado Éder Mauro lidera disputa pela prefeitura de Belém, diz Paraná Pesquisas

Bolsas da Europa fecham mistas com setor de chips e Antofagasta em queda; Londres sobe
bolsa de valores

Bolsas da Europa fecham mistas com setor de chips e Antofagasta em queda; Londres sobe

Newsletter