PSOL decide pela abertura de diálogo no sentido de firmar aliança com Marília Arraes

O Diretório Municipal do PSOL decidiu, em reunião plenária ocorrida na noite desta terça-feira (7), eleger como tática eleitoral para o pleito 2020 no Recife a construção de uma aliança com partidos progressistas de esquerda. A decisão marca a abertura de diálogo com a pré-candidatura de Marília Arraes, pelo PT, e com setores da esquerda recifense para a composição de uma frente com vários partidos. Em função da mudança de tática eleitoral, o partido optou por não realizar prévias para a escolha de um nome para encabeçar uma chapa majoritária própria.

Neste processo de discussão inicial, dois quadros do partido haviam colocado os seus nomes à disposição para a discussão interna, o ex-deputado federal, Paulo Rubem Santiago; e o presidente estadual do PSOL, Severino Souto Alves.

"O PSOL considera que é fundamental a construção de uma alternativa de esquerda, bem estruturada, em oposição à continuidade do projeto do PSB na capital pernambucana e aos setores que apoiam o governo Bolsonaro", afirma Severino Souto Alves, um dos pré-candidatos que se colocavam na disputa. "Iremos propor ao PT e aos demais partidos de esquerda com quem estamos dialogando nesta frente a construção de um debate programático conjunto para consolidar as propostas para a cidade do Recife", finalizou. 

Veja também

Bolívia propõe perdão da dívida externa diante da crise
Coronavírus

Bolívia propõe perdão da dívida externa diante da crise

Governo federal investe em nova fábrica de vacinas da Fiocruz

Governo federal investe em nova fábrica de vacinas da Fiocruz