"São Francisco brasileira": Nizan Guanaes reforça que Recife deve apostar na vocação tecnológica

Em evento na Capital pernambucana, o estrategista falou sobre potencialidades locais

O estrategista falou sobre - Melissa Fernandes/Folha de Pernambuco

Em passagem pelo Recife nesta semana, Nizan Guanaes conversou com empresários e executivos do Estado e do Nordeste nesta quarta-feira (18). 

Na palestra, o estrategista, que é um dos principais nomes da comunicação e da publicidade no País, trouxe reflexões sobre visão estratégica, posicionamento de marca e potencialidades do mercado local, que, na avaliação dele, deve ser "global" e redobrar a aposta na vocação tecnológica como uma "São Francisco brasileira".

O evento, promovido pelo Experience Club Nordeste, reúne 250 convidados no Estaleiro Ecomariner, no bairro do Pina, Zona Sul da cidade. Desde terça-feira (17) circulando pela Capital, onde, entre outras atividades, visitou a sede da Folha de Pernambuco, o baiano de 64 anos se disse impressionado com o que viu.

Nizan Guanaes em evento no Recife | Foto: Melissa Fernandes/Folha de Pernambuco

"Uma tecla em que eu vou bater é vocês se posicionarem como a São Francisco brasileira. É a vocação da cidade digital. A cidade tem que investir fortemente no ensino técnico, formando mão de obra de programadores", ressaltou Guanaes, que considera a estratégia, não mais a publicidade, a "alma do negócio".

O estrategista sugeriu ainda que o município aproveite a localização geográfica, voltada ao Oceano Atlântico, para estreitar os laços com potenciais parceiros de outros continentes, como os portugueses. “Recife tem que ser global e deve se posicionar nisso. Eu faria uma política de aproximação com Portugal, que está a sete horas (de avião) daqui e é fortíssimo no digital. Isso é ambição global”, analisou, acrescentando que ficou impressionado com o que viu na cidade nesses últimos dois dias.

A “alma” do negócio
Ainda de acordo com Guanaes, hoje em dia, é a estratégia, não mais a propaganda, a alma do negócio, que precisa se posicionar de maneira firme diante do público. “É preciso dizer assim: ‘Esse aqui é o meu consumidor e esse aqui não é’. Quem não tem estratégia cai no oceano vermelho sangrento [da competição]”, reforçou.

A palestra no Recife integra uma agenda de visitas que o estrategista tem feito com o Itaú BBA aos diferentes polos econômicos do País. Tudo, conforme explica o próprio Nizan, como parte de uma estratégia: “Você vai conhecendo um monte de pessoas, e é muito importante isso. O Brasil não é só a Faria Lima nem só o Leblon. Esse entendimento é claro para o banco, e ele está se expandindo assim”.

Veja também

Trump diz que sua casa na Flórida foi alvo de buscas do FBI
EUA

Trump diz que sua casa na Flórida foi alvo de buscas do FBI

Cônsul alemão suspeito de matar o marido continua preso no Rio
Rio de Janeiro

Cônsul alemão suspeito de matar o marido continua preso no Rio