Tadeu promete subir o tom com Governo Federal em debate sobre a Ancine: "Paralisia deliberada"

Presidente da Frente Parlamentar Mista em Defesa do Cinema e do Audiovisual Brasileiros, o deputado federal Tadeu Alencar (PSB-PE) participou nesta segunda-feira de uma reunião virtual no Congresso Nacional para debater a situação da Ancine (Agência Nacional do Cinema) no Governo Bolsonaro, que é comandada por diretores interinos e tem sido alvo de críticas pelos profissionais do setor.

"Esse diálogo que temos tentado construir não tem tido resposta da parte dos representantes, seja da própria Ancine ou do Governo. É hora de aumentar o tom em relação a esse desrespeito meticuloso e de má fé. Não podemos aceitar isso. Há uma paralisia deliberada e uma série de medidas e todas elas tendentes a paralisar o setor", disse Tadeu, que relembrou algumas das 'promessas' do presidente Jair Bolsonaro.

"O Presidente da República tinha dito que faria uma degola na Ancine e agora faz uma degola muito mais competente, garroteando os recursos para financiar o audiovisual no Brasil. Seja não ter uma direção da agência dotada do aparato institucional que lhes garantam independência, seja por medidas que burocratizam a apreciação dos projetos e até desafiam a autoridade de decisões judiciais".

O Governo Federal não enviou nenhum representante para a reunião desta segunda-feira que discutiu os rumos da Ancine. Eram esperados o Ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antonio, que não participou por encontrar-se com Covid, mas não enviou representante e do diretor-presidente interino da Ancine, Alex Braga. 

"Quero repudiar a ausência de representantes da Ancine nessa audiência pública e encontro de trabalho. Acho que é um desapreço ao parlamento e ao segmento do audiovisual. Sabemos da importância desse debate. Esse desapreço precisa ter uma pronta resposta do Congresso Nacional.

Tadeu Alencar relembrou o saldo positivo da Ancine nos últimos anos e a preocupação com a sua atuação no Governo Bolsonaro.

- Nos últimos anos a Ancine funcionou de maneira adequada, cumprindo bem o seu papel de aprovar editais e a liberação de recursos se deu sem nenhum tipo de dificuldades, com uma produção vigorosa e reconhecida, dentro e fora do Brasil. Basta olhar a curva de crescimento nos editais aprovados nos últimos anos.

Como Presidente da Frente Parlamentar Mista em defesa do Cinema e do Audiovisual, Tadeu Alencar fez parte há um mês de um movimento vitorioso no Congresso Nacional para derrubar o veto do presidente Jair Bolsonaro ao PL 5815/2019, que garante a prorrogação do Recine até 2024, bem como tem atuado junto com parlamentares integrantes da Frente para suspender decisões da Anatel e da Ancine que fragilizam a indispensável regulação do setor.