Teresa Leitão repudia primeira fala pública do Ministro da Educação Milton Ribeiro

Divulgação

A deputada Teresa Leitão (PT) usou seu espaço na reunião plenária da Assembleia Legislativa de Pernambuco, nesta quinta-feira (1º), para repudiar a primeira fala pública do ministro da Educação, Milton Ribeiro. O titular do MEC afirmou, em entrevista do jornal O Estado de São Paulo, que homossexuais são frutos de famílias desajustadas e que não cabe ao MEC resolver o problema dos estudantes de acesso à internet.

“Senhor ministro, orientação sexual não é doença. Orientação sexual não é fruto de famílias desajustadas, se fosse assim eu diria que a família do ilustre ministro também é desajustada para gerar uma pessoa com pensamentos tão obscuros”, disse a deputada.  “Orientação sexual é orientação sexual, é uma tomada de posição que cabe a cada indivíduo e a cada pessoa, é uma construção que merece respeito e não preconceito”, completou.

A deputada também destacou o obscurantismo intelectual do titular da pasta da Educação no governo federal, que negou a transição digital que o mundo vive e disse ainda que não é obrigação do Ministério da Educação dotar as escolas, os estudantes e os profissionais de educação de condições para utilizar plataformas digitais. “É atribuição, sim, do Ministério da Educação romper as barreiras do obscurantismo, olhar o mundo e não apenas o umbigo do senhor ministro ou dar continência ao seu capitão”, frisou.

Teresa reforça que é importante que a transição digital aconteça e tenha um aspecto didático e pedagógico tão necessários para o desenvolvimento e a inclusão que a educação precisa promover.