A cassação em Águas Belas e o precedente perigoso

Caiu como uma bomba em todo Pernambuco a notícia que, em Águas Belas, no Agreste, o prefeito Luiz Aroldo (PT) e sua vice-prefeita Eniale Coutinho (PSD) tiveram ambos os mandatos cassados, acusados de abuso de poder econômico e político. A sentença foi deferida pelo juiz da 64ª Zona Eleitoral de Águas Belas, Rômulo Macedo Bastos. O detalhe é que isso colocou de orelha em pé vários gestores espalhados pelo Estado que usavam da mesma prática nas eleições e que tiveram essas ações também denunciadas.

Igualmente a vários outros municípios, que utilizam o mesmo expediente na campanha eleitoral, a polícia militar flagrou uma frota de veículos abastecendo no mesmo posto de combustível que prestava serviço à Prefeitura Municipal, além de funcionários promovendo abastecimento de motocicletas. Com isso, abriu-se uma investigação, que culminou na cassação dos dois mandatos, após alguns meses já eleitos. O prefeito terá que pagar uma multa no valor de R$ 30 mil e a vice R$ 10 mil.

Depois da decisão do magistrado o alvoroço foi geral na cidade. Vereadores aliados fizeram coro à nota do deputado estadual e presidente do Partido dos Trabalhadores, Doriel Barros, na qual afirmou que a decisão “foi baseada em rumores e o prefeito Luiz Aroldo é vítima de injustiça“. 

Enquanto a situação se defende, a oposição na cidade comemora e já existem vários prints espalhados nas redes sociais, valorizando a atuação judicial, dizendo: “a justiça foi feita”.

Apoio do governador
Em passagem por Brasília, o prefeito Miguel Coelho buscou consolidar apoios para sua candidatura pelo MDB. Começou procurando os dirigentes nacionais. Primeiro, Miguel conversou com o presidente nacional do MDB, Baleia Rossi, e o líder do partido na Câmara de Deputados, Isnaldo Bulhões. Ontem, o prefeito de Petrolina foi até o governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha, e recebeu apoio para fortalecer a legenda e disputar o comando do Palácio Campo das Princesas. Miguel sabe que levar o MDB para a oposição é estratégico para encerrar a hegemonia do PSB no Governo do Estado.

Condenou
O juiz eleitoral de Bodocó condenou o prefeito de Granito, João Bosco Lacerda (PT), ao pagamento de multa no valor de 20.000 UFIRs, por descumprimento da  lei e determinou que o Ministério Público Eleitoral apure a prática de crime eleitoral e eventual ato de improbidade administrativa. O magistrado entendeu que Bosco cometeu irregularidades na prefeitura no tocante a contração de pelo menos 34 pessoas às vésperas do período eleitoral. A defesa já apresentou recurso pedindo a revisão da sentença.

Devolvendo dinheiro
A Câmara de Vereadores de Sertânia devolveu R$ 1.450,00 para a prefeitura do município. Os recursos são oriundos do duodécimo não utilizado. O presidente do Legislativo, vereador Antônio Henrique, (PSB) disse que  o dinheiro é para ajudar a administração na melhoria dos serviços na infraestrutura da cidade. 

Explica aí
Em Camaragibe o presidente da Câmara de Vereadores, Paulo André (PSB), anda se explicando. Tenta justificar pagamentos na casa de R$ 600 mil com diárias pagas aos colegas de parlamento para eventos em 2020, pleno ano de pandemia.

Veja também

Jaboatão inicia agendamento para vacinação de pessoas a partir de 42 anos contra a Covid-19
Vacinação

Jaboatão inicia agendamento para vacinação de pessoas a partir de 42 anos contra a Covid-19

Ala do Patriota aprova afastamento de dirigente do partido e dificulta filiação de Bolsonaro
Política

Ala do Patriota aprova afastamento de dirigente do partido e dificulta filiação de Bolsonaro