A tensão, a votação e a CPI em Arcoverde

Em Arcoverde, o Partido Socialista Brasileiro vive dias tensos depois que a presidente da Câmara de Vereadores, Célia Galindo decidiu investigar várias denúncias de desvios de recursos públicos no âmbito da Secretaria de Assistência Social e Cidadania do município na gestão da prefeita, Madalena Britto, ambas do mesmo partido. 

Ao planejar a criação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito, houve quem duvidasse que Célia fosse mesmo dar segmento a investigação, que recebeu dia e hora marcada para acontecer. Marcada para a última sexta-feira (07), a reunião que daria início a CPI ganhou capítulos inusitados.

Célia não compareceu na reunião e em justificativa, disse que não teve a compreensão de alguns vereadores para que pudesse seguir “o preceito saudável da proporcionalidade”. Mesmo assim, o vice-presidente da Casa, o vereador Everaldo Lira (PDT), assumiu o lugar de Célia e fez a indicação dos membros para compor a CPI, ficando a presidência para a vereadora Cybele Roa (Avante), Zirleide Monteiro (PTB) na relatoria e Heriberto do Sacolão (PTB) como secretário. Todos os vereadores do PSB faltaram à sessão.

Após a criação da Comissão nessas circunstâncias, Célia Galindo baixou o decreto n° 001/2020 nessa terça-feira (11), em que anula todas as decisões tomadas no plenário da Casa James Pacheco. Foi o suficiente para a guerra ganhar novos contornos. O que vai acontecer daqui para frente é a dúvida que não quer calar.

Terra Nova > O superintendente da Codevasf, Aurivalter Cordeiro, afirmou que a prefeitura do município estaria dificultando o início das obras da Passagem Molhada, na fazenda Maria Antônia, que facilitaria o escoamento de produção e o trânsito das pessoas daquelas comunidades. Segundo ele, a prefeitura vem alegando a ausência de algumas licenças, principalmente licença ambiental.

Reabertura controlada > A prefeitura de Afogados da Ingazeira iniciou junto com o Ministério Público de Pernambuco, reuniões com donos de bares, restaurantes, lanchonetes e similares para definir o protocolo de reabertura dos estabelecimentos, que só poderão acontecer após os encontros. “Se você quer abrir, venha se regularizar”, fecha o comunicado. Os proprietários assinam um termo de recebimento dos protocolos e compromisso de cumprimento estrito.

Aplausos da discórdia > Na sessão virtual da Câmara de Vereadores de Petrolina desta terça-feira (11), presidida pelo vereador Ronaldo Cancão, um requerimento solicitando uma moção de aplausos ao cantor Gustavo Lima, por ter se referido a cidade e ao prefeito em sua live, alterou os ânimos dos vereadores. Apesar da confusão, a moção de aplausos foi aprovada por 15 votos favoráveis, dois contrários e uma abstenção.

Condutas vedadas > A partir deste sábado (15) fica vedado, de acordo com a Lei das Eleições, o uso de cargos e funções públicas em benefício de determinadas candidaturas e partidos. Durante os próximos três meses não será possível nomear, contratar ou admitir, demitir sem justa causa, suprimir ou readaptar vantagens. Também fica proibido remover, transferir ou exonerar esses servidores do município, até a posse dos eleitos.