Depois da emoção da vitória, prefeito de Santa Maria se depara com desafios

Protagonista de uma vitória histórica nas eleições de 15 de novembro de 2020, o atual prefeito do município sertanejo de Santa Maria da Boa Vista, George Duarte (PP), não terá apenas essa emoção para se lembrar. Após assumir a gestão no último dia 1º de janeiro, ele já percebeu que passará por outros momentos semelhantes, mas agora do outro lado da moeda.

George já sentiu o drama entre seu próprio grupo político. Recentemente, ao anunciar o secretariado do primeiro escalão, o prefeito acabou gerando rumores na cidade sobre uma suposta insatisfação de aliados. Isso porque no anúncio dos nomes não estavam presentes a vice-prefeita, Dra.Elivânia, o ex-prefeito Jetro Gomes (esposo dela) e o ex-candidato a prefeito Cidinho Andrade.

Como deve ser, George procurou apagar qualquer princípio de incêndio. Ele assegurou que escolha de seus secretários e demais assessores foi feita levando-se em conta a capacidade de cada um e aconteceu em comum acordo com todos os aliados. Também descartou qualquer insatisfação no grupo.

O pior, no entanto, ainda estava por vir. O atual prefeito disse ter se deparado com um verdadeiro ‘caos’ administrativo deixado pelo seu antecessor. “Não imaginei encontrar a administração municipal nessa bagaceira”, desabafou.

George já reúne uma boa experiência política no currículo. Foi vereador na Câmara Municipal e tem um irmão ex-prefeito, Leandro Duarte, o qual pode também lhe repassar orientações relevantes acerca do Executivo. O resto terá de ser com o próprio George, e ele precisa provar que pode dar conta do tamanho desse desafio.

Minimizou<Cumprindo agenda em Petrolina, o deputado federal Fernando Filho (DEM) minimizou a responsabilidade sobre os investimentos do governador Paulo Câmara (PSB) em Petrolina. Apesar de adversário do socialista, o parlamentar declarou a uma rádio local que todos os gestores estaduais olharam pouco para o município, e não só o atual, e que Petrolina sempre teve mais verbas federais porque: 1) suas principais lideranças políticas estavam em Brasília; 2) porque, evidentemente, o governo federal tem muito mais recursos que o estadual.

Chutou o balde<Chateado por não ter recebido as devidas informações da gestão passada, o atual prefeito Marcones Libório de Sá (PSB), de Salgueiro, no Sertão Central, decidiu decretar estado de calamidade administrativa e financeira no município, motivado pela ausência de documentos com informações contábeis e orçamentárias. O ato foi publicado ontem (13). Sem tais documentos, o município ficou impossibilitado de abrir o Orçamento 2021.  Com o decreto, o Tribunal de Contas do Estado (TCE) permitiu à gestão iniciar as atividades sem conhecimento das despesas anteriores, realizando um corte contábil e operando com os ajustes futuros.

Servidores<Em Garanhuns, no Agreste, a Secretaria de Administração da prefeitura vem realizando transferências de servidores entre setores e repartições dentro das secretarias. A remoção de servidores é regulamentada na Lei Estadual 6.123/73, em seus artigos 40 e 41, que rege também o município. O artigo 41 deixa clara a legalidade destas transferências. "A remoção pode ser a pedido ou de ofício, atendida sempre a conveniência do serviço", frisa a pasta.

Sogra no poder<Em Serra Talhada, Sertão do Pajeú, após a ex-primeira-dama Karine Rodrigues desistir da Secretaria de Saúde menos de duas semanas após assumir o cargo, a prefeita Márcia Conrado (PT) já escalou a nova titular da pasta. Trata-se da enfermeira Lisbeth Rosa de Souza Lima, sogra da gestora.

 

Veja também

Agenda 2021 – ESG
Diplomacia Econômica

Agenda 2021 – ESG

Após lobby, caminhoneiros e motoristas viram prioridade e serão vacinados antes
Plano de imunização

Após lobby, caminhoneiros e motoristas viram prioridade e serão vacinados antes