O impeachment do prefeito de Salgueiro e a guerra política

Manobra. Essa foi a palavra que o grupo governista de Salgueiro utilizou para se posicionar em relação ao que o presidente da Câmara de Vereadores da cidade realizou, segundo eles, para conseguir aprovar o pedido de impeachment contra o atual prefeito e candidato à reeleição, Clebel Cordeiro (PL).

O requerimento foi votado e aprovado na Câmara com o placar de 7×7, e o presidente George Arraes foi o responsável pelo desempate, tornando o pedido aceito pela Casa. Isso não agradou em nada a atual gestão, que considerou uma “manobra” do presidente, ter tirado da pauta do dia o projeto de iluminação das BRs-232 e 116, que estava há mais de um mês aguardando votação, para colocar o processo de impedimento do prefeito no lugar. Para os vereadores da bancada de oposição, Clebel cometeu crime de responsabilidade por “furto de água da Transposição do Rio São Francisco, evasão de terra e desmatamento”.

Por meio de nota, a assessoria de imprensa da prefeitura declarou que tudo não passou de uma “armação para prejudicar o prefeito”. “O que a oposição não esclareceu na sessão é que tudo já foi esclarecido à Justiça, tendo inclusive recebido de volta o valor da fiança, após a decisão do Tribunal Regional Federal da 5ª Região (TRF5), que declarou ilegal e abusiva a prisão ocorrida em dezembro de 2019”, diz a nota.

A assessoria do prefeito ressaltou que existem outros projetos que estão engavetados há meses. “A população acaba sendo a maior prejudicada, já que não existe prioridade para votar os projetos que vão beneficiar os moradores da cidade e dos distritos”, finaliza nota.

A prisão > Ainda repercute a prisão do ex-prefeito de Flores, Arnaldo Pedro da silva, mais conhecido como Arnaldo da Pinha, por desvio de recursos da Saúde. Após uma denúncia do Ministério Público Federal, ele foi condenado pela Justiça Federal por desvio de recursos públicos do convênio com a Funasa, que seriam destinados para melhoria habitacional em Flores para o controle da doença de Chagas. 

Menos dois > Após a Justiça indeferir o registro de candidatura a prefeito do Botinha (Solidariedade) em Ouricuri, foi a vez da Justiça não validar o registro de Regivaldo Macedo (Patriota) para prefeito da cidade. Segundo a sentença, o candidato não apresentou a documentação exigida pela legislação vigente até o prazo de intimação.

Entrou na rota > O deputado federal Tadeu Alencar (PSB) comemora junto com o atual vice-prefeito e candidato a vereador de Cabrobó, Pedro Caldas (PT), a recente parceria entre eles, que coloca Cabrobó como uma nova cidade do Sertão na rota de Tadeu, que já tem Exu, Bodocó, Moreilândia, Ouricuri e São José do Egito entre suas bases eleitorais. 

Troca de vice > Em Santa Cruz da Baixa Verde, a chapa governista no município encabeçada pelo candidato a prefeito Filipe de Nael (PTB), decidiu, sem dar justificativa,  trocar o candidato que irá concorrer à vaga de vice. O atual vice-prefeito Francisco Rufino, o “Titico”, foi substituído pelo ex-vereador e ex-vice prefeito Eronildo Feitosa, o Niniu.