A demissão em empresas familiares

Demitir sem antes oferecer uma chance de reposicionamento pode gerar o sentimento de injustiça

Leia Também

• Governança corporativa em empresas familiares

• Vale a pena recontratar um ex-empregado?

No cenário tradicional da gestão, a resposta padrão para resultados abaixo do desempenho esperado muitas vezes se resume à demissão. No entanto, quando tratamos de empresas familiares, a aplicação cega dessas práticas gerenciais pode ser um terreno delicado e, muitas vezes, contraproducente quando as implicações da decisão não são consideradas cuidadosamente.

O desligamento de um empregado por baixo desempenho é uma consequência natural em diversas organizações, mas quando esse empregado tem um forte vínculo afetivo com a família e com a empresa e já fez entregas expressivas no passado recente, a história pode ser diferente. Em empresas familiares, onde o ambiente é permeado por laços afetivos e compromissos que vão além do profissional, essa decisão ganha contornos mais sensíveis.

É importante ressaltar que transplantar práticas do mercado para empresas familiares sem considerar suas particularidades pode representar um risco significativo. A demissão, nesse contexto, pode ser um tiro no pé, desgastando aquilo que é vital para a empresa familiar: o amor e o comprometimento do profissional em questão e das demais equipes.

Ao optar pelo caminho imediatista do desligamento sem conversas prévias ou de investir no desenvolvimento do empregado, a empresa não apenas perde uma oportunidade valiosa de crescimento mútuo, mas também compromete o sentimento de pertencimento e de família que permeia, mais fortemente, uma organização familiar. Demitir sem antes oferecer uma chance de reposicionamento pode gerar o sentimento de injustiça e de que não vale a pena tanta dedicação à instituição.

Não se pode perder de mente que eliminar profissionais que não estão atendendo as expectativas pode ser mais prático e fácil, mas vai na direção contrária de se ter equipes competentes, comprometidas e estáveis. É papel da gestão guiar, incentivar e desenvolver para manter viva a chama do comprometimento e do cuidado mútuo – empresa e equipe. Promover um ambiente de comunicação aberta e construtiva é uma prática que fortalece os laços e contribui para o desenvolvimento conjunto.

Veja também

EDITAIS E BALANÇOS

EDITAIS E BALANÇOS

BBB 24: Davi, Michel, e Alane estão no paredão; eliminação é na próxima terça (5)
BBB 24

BBB 24: Davi, Michel, e Alane estão no paredão; eliminação é na próxima terça (5)